25.2 C
Lucas do Rio Verde
terça-feira, 03 agosto, 2021
InícioCENÁRIO POLÍTICODIRETO DE BRASÍLIARandolfe pede que Wilson Witzel dê novo depoimento, em caráter reservado

Randolfe pede que Wilson Witzel dê novo depoimento, em caráter reservado

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI da Pandemia, anunciou que vai requerer depoimento em reservado do ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel. A possibilidade do depoimento reservado foi levantada pouco mais de uma hora depois do início do depoimento de Witzel à CPI, nesta quarta-feira (16).

— Acho que têm informações complementares que Sua Senhoria pode prestar a esta CPI — justificou Randolfe.


--Continua depois da publicidade--

O ex-governador vinha acusando o presidente Jair Bolsonaro de boicotar o trabalho de estados e municípios no combate à pandemia. Witzel foi afastado do governo do Rio de Janeiro em agosto de 2020, por decisão do Superior Tribunal de Justiça, em meio à investigação de irregularidades na contratação de hospitais de campanha e na compra de respiradores e medicamentos para a covid-19. 

O incidente que levou à proposta de depoimento reservado começou após uma intervenção do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ). O advogado Diego Carvalho Pereira, que estava acompanhando Witzel, pediu a retirada de deputados federais presentes à sala. O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), indeferiu o pedido, alegando o direito regimental dos deputados de assistir à reunião.

Em seguida, Randolfe Rodrigues invocou a possibilidade do depoimento reservado. Witzel dispôs-se a depor nessas condições. Flávio Bolsonaro disse que “reservado ou público”, estaria presente ao depoimento. O relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB-AL), perguntou a Witzel se ele se sentia intimidado:

— Há um clima intimidatório claro — disse Renan. — E precisamos ouvir o depoente se ele se sente à vontade para prosseguir dessa forma ou não.


--Continua depois da publicidade--

O ex-governador respondeu que não se deixaria intimidar e que aceitaria a presença de Flávio Bolsonaro num depoimento reservado.

— Nesta reunião, eu faço questão de apresentar elementos para iniciar uma investigação contra pessoas que estão desvirtuando a atuação funcional. E nós vamos descobrir quem está patrocinando investigação contra governador, quem está patrocinando essa narrativa criminosa, que o resultado é um só: 490 mil mortes no nosso país — afirmou.

Witzel depunha resguardado por um habeas corpus (HC) do ministro do STF Nunes Marques, que permitia ao depoente não comparecer. Witzel valeu-se do HC pouco depois das 14h para encerrar seu depoimento.


Lucas do Rio Verde

ATAQUE DE FURIA
Criança morre após ser atacada por cadela Chow Chow em Lucas do Rio Verde
agosto 03, 2021
FUTSAL
Pela Taça Brasil, Grupo Santos vacila e toma a virada no fim do jogo
agosto 03, 2021
Lucas do Rio Verde
Projeto para castração de cães e gatos em Lucas do Rio Verde está em fase final
agosto 03, 2021
33 anos
Aniversário de Lucas do Rio Verde altera expediente de espaços públicos nesta quinta e sexta-feira
agosto 03, 2021