22.3 C
Lucas do Rio Verde
quarta-feira, 23 junho, 2021
InícioCENÁRIO POLÍTICODIRETO DE BRASÍLIAProposta cria política nacional para residências em saúde

Proposta cria política nacional para residências em saúde

País tem hoje mais de mil programas para formar profissionais em serviço, no nível de pós-graduação
Por Redaçao CenarioMT com inf. Ag camara

Segundo o parlamentar, as Residências em Área Profissional da Saúde existem no Brasil há mais de 60 anos. São uma modalidade de ensino de pós-graduação lato sensu, voltada para a educação em serviço e destinada às 15 categorias de nível superior que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS).

As categorias profissionais hoje com acesso a essa formação são Biomedicina, Ciências Biológicas, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Saúde Coletiva, Serviço Social e Terapia Ocupacional.


--Continua depois da publicidade--

Mais categorias
Alexandre Padilha sugere a inclusão, nessa lista, dos graduados em Agronomia, Antropologia, Artes, Física, Pedagogia e Zootecnia. Segundo o deputado, esses profissionais têm presença garantida em diversas políticas de saúde, mas não possuem oportunidades de formação para posterior atuação no SUS.

Estimativa aponta a existência de 1.180 programas, aos quais estão vinculados cerca de 13.036 residentes com bolsas financiadas pelos ministérios da Saúde e da Educação. Outros programas, financiados por estados e municípios, não oferecem acesso público a dados atualizados, explica o parlamentar.

Alexandre Padilha destaca que o projeto baseia-se em trabalhos da Comissão Nacional de Residências em Área Profissional da Saúde e considera resultados da participação de entidades, profissionais e residentes em diversos fóruns.

Detalhamento
A política nacional terá como objetivo qualificar os futuros trabalhadores do SUS por meio da unificação e aperfeiçoamento das normas existentes. Isso é detalhado na proposta por meio de 52 artigos divididos em quatro capítulos.


--Continua depois da publicidade--

O texto prevê princípios e diretrizes gerais da Residência em Área Profissional da Saúde; define como serão os programas e as responsabilidades das esferas de governo (federal, estaduais e municipais) – a gestão do SUS é tripartite –; inclui formas de financiamento e o estágio não obrigatório.

Na parte das especificidades, regulamenta a Comissão Nacional de Residência em Área Profissional da Saúde e instâncias vinculadas, bem como a atuação das comissões instaladas em cada instituição participante, seja pública ou privada, e dos envolvidos (coordenação, docentes, tutores, preceptores e residentes).

Entre outros pontos, a proposta prevê carga horária mínima de 40 semanais e duração mínima de dois anos, podendo ser mais. O Ministério da Saúde fixará, especificamente, o valor das bolsas para coordenadores, tutores e preceptores. O auxílio financeiro a qualquer profissional não significará vínculo trabalhista.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Educação; de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Cláudia Lemos


© CenárioMThttps://www.cenariomt.com.br
CenárioMT - Publicamos notícias diariamente no portal!
- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

Mato Grosso
Lucas do Rio Verde e outros 27 municípios estão com risco muito alto de contaminação pela Covid-19
junho 22, 2021
SOB INVESTIGAÇÃO
Mais de 80 doses de vacina AstraZeneca desaparecem de PSF em Lucas do Rio Verde
junho 22, 2021