21 C
Lucas do Rio Verde
quarta-feira, 26 janeiro, 2022
Publicidade
InícioCENÁRIO POLÍTICODIRETO DE BRASÍLIAPEC busca conter judicialização de demandas de medicamentos e terapias ao SUS

PEC busca conter judicialização de demandas de medicamentos e terapias ao SUS

Por

Uma proposta de emenda à Constituição (PEC) apresentada pelo senador Marcelo Castro (MDB-PI) busca “desjudicializar a Saúde”. De acordo com o texto da proposição, o Sistema Único de Saúde (SUS) só poderá fornecer medicamentos e procedimentos que tenham sido incorporados formalmente através de análise técnica.

A PEC 45/2021 modifica o artigo 198 da Constituição, tornando explícito que a incorporação de remédios, produtos e procedimentos pelo SUS será feita obrigatoriamente “mediante análise prévia por órgão de âmbito nacional”. Além disso, determina que as tecnologias a serem oferecidas pelo SUS estarão limitadas às listas oficiais de medicamentos, ações e serviços de saúde.


--Continua depois da publicidade--

Na justificação da PEC, Marcelo Castro argumenta que a diretriz constitucional da assistência integral à saúde exige “mecanismos que possam melhor definir os seus limites”, já que não é “factível conceder a todos tudo aquilo que se pretende”. Para isso, existem as listagens oficiais da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename) e a Relação Nacional de Ações e Serviços de Saúde (Renases). Além disso, conforme a lei atual, novas tecnologias em saúde deverão ser examinadas pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias em Saúde (Conitec).

Porém, segundo o parlamentar, a legislação vigente não impõe limites claros à demanda por tratamentos. O texto ressalta ainda que “em sistemas universais de saúde, o rol de medicamentos e procedimentos é sempre vinculatório ao profissional de saúde”. Como resultado, diversos pacientes recorrem ao Judiciário para garantir o fornecimento gratuito, pelo SUS, de medicamentos e terapias não disponíveis na rede pública, muitas delas com custos elevadíssimos.

“É possível constatar, pela intensa judicialização em nosso país, a tentativa de transformar o Poder Judiciário em porta de entrada para o Sistema Único de Saúde, o que gera graves distorções. São por volta de meio milhão de ações judiciais na área de saúde, conforme dados do Conselho Nacional de Justiça”, lamenta o senador.

Nesse sentido, Marcelo Castro cita a experiência de sistemas de saúde universais de outros países, que são regidos por normas organizadoras que impõem limites ao sistema “mediante a definição de um rol de serviços de saúde que, antes de sua incorporação, sujeitam-se a análise técnico-científica, de custo-benefício e de efetividade, em relação a outras tecnologias”.


--Continua depois da publicidade--

Publicidade

Redes sociais

107,380FãsCurtir
17,057SeguidoresSeguir
2,125SeguidoresSeguir

Lucas do Rio Verde

NOITE AGITADA
Homem é baleado na perna por causa de suposta dívida em Lucas do Rio Verde
janeiro 25, 2022
VIOLENCIA EXTREMA
Cabeça de pessoa é encontrada próximo a container em Lucas do Rio Verde
janeiro 25, 2022
DIFÍCIL CONTROLE
Pra conter avanço da cigarrinha, produtores cogitam vazio sanitário para não comprometer safra de milho em MT
janeiro 25, 2022
Lucas do Rio Verde
Lucas do Rio Verde inicia agendamento para imunizar crianças de 10 e 11 anos sem comorbidades
janeiro 25, 2022