21.1 C
Lucas do Rio Verde
terça-feira, 11 maio, 2021
InícioCENÁRIO POLÍTICODIRETO DE BRASÍLIAPaulo Paim critica cortes no Orçamento de 2021, em plena pandemia

Paulo Paim critica cortes no Orçamento de 2021, em plena pandemia

Por CenárioMT com inf. Agência Senado

Em pronunciamento nesta quarta-feira (14), o senador Paulo Paim (PT-RS) lamentou que o governo tenha promovido cortes no Orçamento deste ano em relação a 2020, justamente num momento de pandemia, com crises na saúde e na economia, com repercussão no emprego e na renda das famílias.

Segundo ele, o cenário atual exige investimentos em setores como saúde, educação, meio ambiente e no bem-estar da população. Mas não é o que ocorre, observou Paim, ao acrescentar que isso evidencia a falta de comando no país e pode tornar iminente uma tragédia social. 


--Continua depois da publicidade--

— A Previdência Social perdeu R$ 13,5 bilhões, o abono salarial perdeu R$ 7,4 bilhões, o seguro-desemprego perdeu R$ 2,6 bilhões, o Sistema Único de Saúde perdeu R$ 28 bilhões, o censo demográfico do IBGE, R$ 1,9 bilhão. A própria agricultura familiar perdeu também. O Brasil está perdendo a capacidade de combater a pandemia e toda a crise instalada — apontou.

Paim aproveitou para criticar também a Emenda Constitucional 95/2016, que instituiu o novo regime fiscal e estabeleceu um teto para os gastos públicos. Para o senador, o texto é absurdo, porque impede investimentos.

— Só em 2019, foram retirados R$ 22,5 bilhões do Sistema Único de Saúde. As perdas para a educação, ciência, tecnologia e outros [setores] são bilionárias com essa emenda do teto. Tem de romper esse teto. Dessa forma, o país vai parar. A quem interessa que não haja investimentos no país? A quem interessa que as pessoas morram de covid-19, de fome e de falta de assistência médica? Que não haja direito à saúde, à educação, à segurança, à moradia, à alimentação e a um trabalho digno? — indagou.

Paim indicou distorções bilionárias nas projeções do governo federal, à época do debate da reforma da Previdência, aprovada em 2019. Esse fato, segundo ele, foi apontado por técnicos do Tribunal de Contas da União e atinge tanto o Regime Geral de Previdência Social, ao qual são vinculados os trabalhadores com carteira assinada, como o Regime Próprio de Previdência Social, ligado aos servidores públicos da União.


--Continua depois da publicidade--

- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

MELHORIA
Guardas Municipais se reúnem com vereadores e pedem análise de estatuto da categoria
maio 10, 2021
Prefeitura de Lucas do Rio Verde convoca candidatos classificados em processos seletivos
maio 10, 2021