21.7 C
Lucas do Rio Verde
sexta-feira, 05 março, 2021
Início CENÁRIO POLÍTICO DIRETO DE BRASÍLIA Orçamento deve ser aprovado antes do fim de março, afirma presidente da...

Orçamento deve ser aprovado antes do fim de março, afirma presidente da CMO

Marcio Bittar, relator, e Flávia Arruda, presidente da CMO na instalação do colegiado
Por CenárioMT com inf. Agência Senado

Com 316 dias de atraso, senadores e deputados instalaram nesta quarta-feira (10) a Comissão Mista de Orçamento (CMO), que deve aprovar o Orçamento Geral da União deste ano. A deputada Flávia Arruda (PL-DF) foi eleita por aclamação para presidir o colegiado. Ela assumiu o compromisso de votar o projeto de Lei Orçamentária Anual (PLN 28/2020) “antes do final de março”. O senador Marcio Bittar (MDB-AC) foi confirmado como relator da matéria.

O Orçamento de 2021 deveria ter sido aprovado em dezembro. Mas um impasse político travou os trabalhos da CMO, que nem sequer chegou a ser instalada. De acordo com a Resolução 1/2006 do Congresso Nacional, a atual composição tem até o dia 30 de março para aprovar o PLN 28/2020. São apenas 48 dias, sem contar fins de semanas e feriados. Depois disso, novos integrantes devem ser indicados para analisar a peça orçamentária de 2022.


--Continua depois da publicidade--

Flávia Arruda é a primeira deputada a assumir a presidência da CMO. Em 2015, a senadora Rose de Freitas (MDB-ES) foi a primeira mulher a ocupar o posto. No discurso de posse, Flávia destacou que o combate à pandemia de coronavírus deve ser a prioridade da comissão.

— Estamos em fevereiro, e o país ainda não definiu o Orçamento. Sem saber quais despesas poderão ser realizadas e quais serão as prioridades dos gastos públicos. Crescem os gastos com a saúde e as necessidades de investimento nas áreas sociais para minimizar o desemprego e a fome. A vacina tem que ser a prioridade zero. É vacina, vacina e vacina. Só assim conseguiremos salvar vidas, trazer de volta a esperança e a retomada da vida normal das pessoas. Depois, a gente tem que focar na distribuição de renda. Não podemos viver em um país onde pessoas passam fome — afirmou a presidente.

O senador Marcio Bittar disse que a CMO precisa “buscar o melhor relatório possível”. Para ele, o desafio será conciliar a necessidade de crescimento econômico com as demandas das camadas mais vulneráveis da população.

— A retomada da agenda econômica é fundamental, como é fundamental resolver o problema de milhares de brasileiros que estão desassistidos. O Congresso Nacional e o Poder Executivo não podem virar as costas para milhares de pais e mães de famílias que ainda precisam da atenção do Estado brasileiro. Achar essa formula é o nosso grande desafio — disse Bittar.


--Continua depois da publicidade--

A CMO deve se reunir às terças-feiras, às 10h. O dia 19 de fevereiro é o prazo final para que as lideranças partidárias indiquem relatores setoriais, de receitas e das contas prestadas pelos chefes dos Três Poderes. A mesma data limite serve para a indicação de membros e coordenadores dos comitês de avaliação da receita, das obras e serviços com indícios de irregularidades graves e da admissibilidade de emendas.

Mais prazo

Durante a reunião de instalação da CMO, alguns parlamentares alertaram para a necessidade de votação rápida do Orçamento de 2021.

— Será um prazo extremamente reduzido. Não sei se chegaremos a 40 dias. Espero que possamos reduzir ao máximo, porque o país precisa do seu Orçamento votado e sendo executado. Espero que na semana seguinte ao Carnaval possamos iniciar, talvez com mais de uma sessão por dia, para fazer com que o relatório seja rapidamente votado — disse o deputado Claudio Cajado (PP-BA).

Outro grupo de parlamentares defende a prorrogação dos trabalhos da atual composição por mais seis meses.

— Queremos fazer o melhor para o Brasil, votando o Orçamento da União, garantindo vacina para o povo brasileiro e uma melhor saúde para nossa nação. Mas queremos trabalhar para que esta comissão seja estendida pelo prazo de mais seis meses. A comissão deveria ter sido instalada em março do ano passado, e não podemos ter esse prejuízo — disse o deputado José Nelto (Podemos-GO).

O senador Lasier Martins (Podemos-RS) anunciou a apresentação de um projeto de resolução para permitir a manutenção dos atuais integrantes da CMO.

— Seria uma maneira de ganharmos tempo, aproveitarmos o mesmo grupo daquela comissão frustrada, porque não foi instalada. O projeto pode ser aperfeiçoado, inclusive com a prorrogação — sugeriu Lasier.

O senador Wellington Fagundes (PL-MT) disse concordar com a possibilidade de prorrogação dos trabalhos da atual composição. Desde que haja um prazo certo para a votação do Orçamento Geral da União deste ano.

— Há males que vêm para o bem. Atrasar a votação permite que possamos fazer um Orçamento muito mais realista, de acordo com as condições que vivemos hoje. Ninguém imaginava a segunda onda da pandemia ou que tivéssemos que prorrogar o auxílio emergencial para os mais de 14 milhões de desempregos. A prorrogação do prazo da vigência da comissão deve existir até como homenagem à mesa diretora da comissão. Mas temos que ter o prazo de votar, porque não podemos deixar o país sem Orçamento — afirmou Fagundes.

Flávia Arruda não descarta a possibilidade de prorrogação da atual composição da CMO. Mas, segundo ela, isso não muda o prazo previsto para a votação do Orçamento, até o fim de março. Para a presidente do colegiado, o tempo extra poderia ser usado para votar outras matérias sob análise da comissão, como os projetos para a abertura de créditos adicionais.



- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

FLEXIBILIZAÇÃO
Prefeito Miguel Vaz vê benefícios com flexibilização, mas alerta sobre cuidados preventivos
março 05, 2021
SEGUE NA UTI
Lucas: Familiares mantêm confiança na recuperação de homem vítima de tentativa de homicídio
março 05, 2021