25.6 C
Lucas do Rio Verde
quarta-feira, 19 janeiro, 2022
Publicidade
InícioCENÁRIO POLÍTICODIRETO DE BRASÍLIACRE aprova embaixadores para Uruguai e Peru; nomes seguem para o Plenário

CRE aprova embaixadores para Uruguai e Peru; nomes seguem para o Plenário

Por

Novos diplomatas devem assumir em breve o comando das embaixadas de dois países vizinhos. A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) aprovou nesta quinta-feira (21) diplomatas indicados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, para chefiar embaixadas brasileiras no Peru e  no Uruguai. Cabe agora ao Plenário decidir se Sérgio Danese (MSF 37/2021) e Marcos Raposo Lopes (MSF 43/2021)  assumirão os novos postos. 

Indicado para o comando da Embaixada do Brasil no Peru, Sérgio França Danese substituirá, na função, o diplomata Rodrigo de Lima Baena Soares. De acordo com o governo, as indicações seguem o processo de renovação periódica das chefias das missões diplomáticas brasileiras.


--Continua depois da publicidade--

Mas a presidente da CRE, Kátia Abreu (PP-TO), lamentou que o governo federal tenha sugerido a substituição de Danese pelo ex-senador e ex-prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella poucos meses após o diplomata assumir o posto. Até o momento, a África do Sul não respondeu o pedido de concordância para que Crivella seja o embaixador em Pretória

— Eu quero registrar pessoalmente o meu desânimo com relação a essa transferência. Não que o Peru não seja um país importante, é também um país importante, mas a África do Sul é um país especial, e, pela categoria, pelo brilhantismo e pela experiência do embaixador Danese, eu tenho a convicção, com toda a falta de especialidade, de que ele seria muito mais útil ao Brasil e às nossas relações se tivesse permanecido lá no seu posto — disse Kátia.

Sobre a repentina mudança, Danese disse que é uma satisfação trabalhar no Peru e apontou que é um “funcionário de carreira” e “desempenha as missões para as quais é designado”.

— Eu também queria dizer da minha satisfação obviamente pela indicação feita pelo presidente da República, secundado pelo Ministro das Relações Exteriores, para o Peru. Nós somos funcionários de carreira, funcionários do Estado e desempenhamos as missões para as quais nós somos designados. Isso faz parte do nosso espírito — afirmou. 


--Continua depois da publicidade--

Peru

A República do Peru é o quarto país mais populoso da América do Sul, com 33,5 milhões de habitantes, e o vigésimo mais extenso do mundo (1,285 milhão de quilômetros quadrados). Brasil e Peru mantêm Aliança Estratégica desde 2003. Entre os principais temas da relação bilateral estão a integração fronteiriça, o combate a ilícitos transnacionais, o adensamento dos laços econômico-comerciais e a cooperação técnica.

Em 2020, o Brasil se manteve na posição de terceiro maior exportador ao Peru, com exportações de US$ 1,66 bilhão, redução de 25% em relação ao ano anterior. 

Um dos desafios no plano econômico é destravar os investimentos em infraestrutura, que se encontram prejudicados desde a eclosão da crise política decorrente dos desdobramentos da Operação Lava Jato no Peru, os quais afetaram diversos projetos então a cargo da empresa Odebrecht e o crescimento do PIB peruano.

Segundo Amin, além dos desdobramentos da Operação Lava Jato, o país enfrenta fragmentação política e crise econômica e social que impõe desafios adicionais no fortalecimento das relações comerciais.

Diante da questão, Danese aposta que as empresas brasileiras têm espaço para voltar ao país e devem buscar apoiar ações nas áreas social, cultural e ambiental. O desafio, segundo ele, é restaurar as parcerias entre Brasil e Peru. 

— É muito importante que, nessa volta das empresas brasileiras não só para o Peru, mas para outros mercados que nós perdemos por conta dos problemas que tivemos e que são muito conhecidos, as empresas redobrem essa aposta numa volta com compliance, com governança corporativa e com essa atuação nessas áreas que muitas vezes são muito sensíveis – apontou Danese.

Uruguai 

Indicado para embaixador no Uruguai, Marcos Leal Raposo Lopes teve parecer favorável do senador Nelsinho Trad (PSD-MS). Lopes entrou para a carreira diplomática em 1982. Foi embaixador na Argentina e no Peru e trabalhou também nas embaixadas do Egito e do México.

No campo comercial, o Brasil é o maior fornecedor do Uruguai e o segundo principal destino das exportações uruguaias, depois da China. A corrente comercial bilateral é composta preponderantemente por produtos industrializados (89,9%). O fluxo comercial bilateral totalizou US$ 2,873 bilhões.


--Continua depois da publicidade--

O setor de turismo é a principal atividade geradora de divisas para o Uruguai e representa em torno de 7,5% do PIB do país — competindo em importância econômica com as exportações de carne bovina. Segundo Nelsinho Trad, há espaço para intensificar as relações entre os países, posição compartilhada pelo indicado. 

O plano de sua atuação a partir da embaixada em Montevidéu inclui as negociações sobre a compra de produtos das zonas francas do Uruguai e a venda de açúcar pelo Brasil, além de cooperações na área agrícola, incremento do turismo e identificação de novos nichos de mercado. 

— A embaixada deverá promover ações integradas para identificar novos nichos de mercado para produtos brasileiros, desde básicos até tecnológicos — apontou Marcos Leal Raposo Lopes.


Publicidade

Redes sociais

107,353FãsCurtir
17,057SeguidoresSeguir
2,122SeguidoresSeguir

Lucas do Rio Verde

Reforma no estádio 
Arquibancadas metálicas do Estádio Municipal Passo das Emas são removidas para reforma
janeiro 19, 2022
COVID-19
Secretaria de Saúde confirma 126 casos nas últimas 24h em Lucas do Rio Verde
janeiro 19, 2022
HOMICÍDIO
Corpo de jovem é encontrado enterrado em mata em Lucas do Rio Verde
janeiro 19, 2022
POLÍCIA
Pai é detido por ameaçar filhas com facão em Lucas do Rio Verde
janeiro 19, 2022