20.9 C
Lucas do Rio Verde
domingo, 20 junho, 2021
InícioCENÁRIO POLÍTICODIRETO DE BRASÍLIACPI ouve secretária do Ministério da Saúde sobre defesa da cloroquina nesta...

CPI ouve secretária do Ministério da Saúde sobre defesa da cloroquina nesta quinta

Mayra Pinheiro em reunião remota do Senado sobre a pandemia, em abril do ano passado
Por CenárioMT com inf. Agência Senado

A CPI da Pandemia ouve nesta quinta-feira (20) a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro. A convocação da médica, defensora do uso da cloroquina como “tratamento precoce” contra a covid-19, foi sugerida por quatro requerimentos apresentados à comissão.

Para o relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL), Mayra Pinheiro precisa “esclarecer por que, por inúmeras vezes, defendeu utilização da cloroquina”. O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) avalia que a secretária pode prestar informações sobre temas como isolamento social, vacinação e omissão de dados.


--Continua depois da publicidade--

O vice-presidente da comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), quer investigar a eventual participação de Mayra Pinheiro no colapso do sistema de saúde em Manaus. “Presenciamos a falta de oxigênio, especialmente no Amazonas. Há falta de medicamentos básicos, como sedativos para a intubação dos pacientes, enquanto sobram medicamentos sem nenhuma comprovação científica. Mayra Pinheiro tem, reiteradamente, sido apontada como defensora de um tratamento precoce com medicações sem qualquer comprovação efetiva contra o coronavírus”, argumenta.

Em outro requerimento de convocação, os senadores Humberto Costa (PT-PE) e Rogério Carvalho (PT-SE) afirmam que o caos em Manaus foi provocado por “ação inadequada e ilegal do governo federal na pandemia”. “Mayra Pinheiro é titular de secretaria nacional no Ministério da Saúde. Portanto, autoridade responsável pela tomada das decisões que desencadearam os fatos descritos. Nessa condição, tem relação direta com os fatos e precisa responder por essas decisões”, afirmam.

A secretária havia pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) um habeas corpus preventivo, para ter o direito de ficar em silêncio ao depor na comissão. O pedido, porém, foi negado pelo STF na terça-feira (18). A decisão foi do ministro Ricardo Lewandowski. 

Requerimentos

Após o depoimento de Mayra Pinheiro, os parlamentares devem votar 25 requerimentos. No único pedido de convocação em pauta, o senador Alessandro Vieira chama para depor o empresário Carlos Wizard. Ele é apontado como um dos financiadores do “ministério paralelo da saúde”, que teria atuado junto ao governo federal na defesa de medicamentos sem eficácia comprovada contra a covid-19.


--Continua depois da publicidade--

Os senadores podem votar ainda requerimentos de convite a especialistas em saúde e medicina. Podem ser chamados a depor Natalia Pasternak Taschner, fundadora do Instituto Questão de Ciência (IQC); Fernando Zasso Pigatto, presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS); José Gomes Temporão, ex-ministro da Saúde; Cláudio Maierovitch, ex-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); Clovis Arns da Cunha, presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia; e Zeliete Zambom, presidente da Sociedade Brasileira Medicina de Família.

Os senadores sugerem ainda a realização de audiência pública com o virologista Átila Iamarino e com representantes do Conselho Nacional de Saúde. Os requerimentos de convite foram apresentados pelos senadores Marcos do Val (Podemos-ES), Alessandro Vieira, Humberto Costa, Randolfe Rodrigues e Renan Calheiros.

A comissão pode votar ainda nove requerimentos de informações. Randolfe Rodrigues pede ao Instituto Butantan e ao Ministério da Saúde todos os protocolos de intenção de aquisição da vacina Coronavac. Ele requer à pasta informações sobre produtos adquiridos e serviços prestados na área de comunicação, publicidade e marketing entre janeiro de 2019 e abril de 2021.

Raldolfe Rodrigues pede ainda ao Ministério das Relações Exteriores correspondências e documentos encaminhados ou recebidos de outras pastas, da Presidência da República, de órgãos públicos e de embaixadas. Ele também requer informações sobre o estudo Mortalidade por Covid-19 e Queda do Emprego no Brasil e no Mundo, publicado em maio pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Dois requerimentos do senador Alessandro Vieira pedem informações ao Ministério da Saúde. O parlamentar quer saber qual é a estratégia adotada para a contenção da disseminação da variante P1, surgida em Manaus. Ele requisita ainda dados sobre testagem, vacinação, distribuição de insumos e protocolos de tratamento. Em outro requerimento, Alessandro Vieira pede as atas de todas as reuniões da Câmara Técnica Assessora em Imunização e Doenças Transmissíveis.

O senador Renan Calheiros requisita cópias da íntegra dos registros audiovisuais de uma reunião ministerial ocorrida no Palácio do Planalto em abril do ano passado. Segundo o relator da CPI da Pandemia, o encontro ficou marcado por “várias declarações polêmicas e pouco republicanas proferidas por ministros de Estado”.


- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

Lucas do Rio Verde
Agentes de Saúde e Atenção Básica recebem capacitação em Lucas do Rio Verde
junho 19, 2021
LUTO
Com mais dois óbitos, Lucas do Rio Verde chega 166 mortes por Covid-19
junho 19, 2021