23.3 C
Lucas do Rio Verde
quarta-feira, 19 janeiro, 2022
Publicidade
InícioCENÁRIO POLÍTICODIRETO DE BRASÍLIACom destaque para gastronomia do Sul e do Centro-Oeste, CRE encerra ciclo...

Com destaque para gastronomia do Sul e do Centro-Oeste, CRE encerra ciclo de audiências

Por

O potencial turístico e gastronômico das Regiões Sul e Centro-Oeste do país foi o tema da audiência pública interativa da Comissão de Relações Exteriores (CRE) do Senado, nesta quinta-feira (2). O debate foi seguido de um almoço com cardápio típico das duas regiões, no Restaurante dos Senadores, mantido pelo Senac no Senado.

O evento integra o plano de trabalho para o período deste ano, na série intitulada “A Internacionalização da Economia Criativa, da Gastronomia e do Turismo como Indutores do Desenvolvimento Regional”. As três primeiras audiências aconteceram em setembro e outubro destacando, respectivamente, as particularidades da Região Norte, da Região Sudeste e da Região Nordeste.


--Continua depois da publicidade--

De acordo com a presidente da comissão, senadora Kátia Abreu (PP-TO), o objetivo é fazer uso da política externa do país, trabalhada pelo Congresso, a fim de combater a desigualdade social por meio da economia criativa, que inclui vários setores, como turismo, gastronomia, artesanato, cultura e resgate dos costumes e história das regiões e seus povos.

— Eu acredito que o Senado Federal é uma vitrine para o Brasil e para o mundo. Os nossos diplomatas estrangeiros, residentes no Brasil, e os nossos diplomatas no exterior acompanham nossa comissão com frequência,  e em todos os eventos eles estão presentes. Nós queremos que isso passe além-mar e que chegue aos países mais distantes essa grande economia criativa que o Brasil tem.

O diretor da Associação do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Abase), Cláudio Mendonça, ressaltou a importância do ciclo de debates como ferramenta para construção de uma política pública de valorização e incentivo à economia criativa. Ele citou o caso da cidade de Bonito, no Mato Grosso do Sul, como exemplo de sucesso do Sebrae.

— Bonito é um município de pecuária, que tinha pouco desenvolvimento inclusivo das pessoas, e de repente começa um trabalho de turismo (…) Hoje temos uma história lá, com gastronomia diferenciada e um desenvolvimento através da inclusão e do turismo. Um município com 20 mil pessoas, com mais de 2 mil empresas trabalhando com turismo.


--Continua depois da publicidade--

Os chefs de cozinha Ana Paula Jacques e Paulo Coelho Machado Neto destacaram a iniciativa da comissão como um marco para a gastronomia brasileira. Para eles, o setor — que já é, segundo a Organização Mundial do Comércio (OMC), o terceiro critério a ser avaliado para definição do destino turístico — tem grande potencial no Brasil, em razão da sua vasta diversidade.

— A gastronomia é a forma mais antiga de diplomacia. Porque ela é usada como forma de aproximar os povos e culturas, ela entra como promoção de estratégia da política externa e de desenvolvimento de um país, porque gera empatia, muda as percepções que se tem sobre uma determinada cultura. Ela é capaz de impulsionar a economia, ampliar a exportação de nossos produtos agroalimentares e incentivar a chegada de turistas — disse Ana Paula Jacques.

Ao citar as mais de 11 mil espécies frutíferas nativas do Cerrado, Jacques ainda alertou para o que chamou de “extinção de ingredientes e técnicas” em razão de desuso, industrialização, urbanização e questões ambientais. Ela defendeu a inclusão desse tema para que algumas receitas “não se percam” na história.

Inclusão

Vice-presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), Marina Figueiredo entende que o grande diferencial do turismo brasileiro gira em torno da criatividade. De acordo com ela, os associados da instituição, que são operadoras de turismo, foram responsáveis, em 2019, por R$ 15 bilhões de faturamento e levaram 6,5 milhões a viajar para fora e dentro do Brasil.

Nesse sentido, eles incentivaram a criação, dentro da instituição, de uma academia que está planejando ações para incluir novos atores e setores que ainda não estão conectados com o turismo para que possa fazer parte de novas rotas e pacotes, disse:

— Como produtores rurais, fazendeiros… Temos tantos campos de flores, de lavanda, por que a gente não pode agregar isso ao turismo? Quantas fazendas que produzem café, frutas diversas, fazem parte do turismo e de atrativos para experiência dos turistas. Eles pagam para ver lá fora, por que não oferecer isso aqui dentro quando a gente tem em abundância?

Educação profissional

Já o assessor da diretoria geral do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Antônio Henrique Borges Paula, evidenciou a preocupação com a falta de capacitação dos jovens brasileiros. De acordo com ele, enquanto países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) registram 50% dos seus estudantes no ensino profissionalizante, no Brasil esse tipo de ensino só concentra 11% dos alunos. Borges Paula alertou que é preciso olhar com atenção para essa capacitação, principalmente pensando no desenvolvimento da gastronomia e do turismo.

— É inadmissível imaginar avançarmos numa agenda de educação sem trabalharmos a questão do ambiental, social e da governança. É inadmissível imaginarmos que a gente não vai ensinar para os nossos chefs que eles têm que valorizar o típico local, que quando se coloca um salmão no cardápio estamos mandando dinheiro para o Chile, e assim por diante.


--Continua depois da publicidade--

Próximos passos

Ainda conforme Kátia Abreu, a comissão destinou R$ 20 milhões em emendas ao Orçamento Geral da União, que deverão ser investidos em eventos nas embaixadas brasileiras fora do país. Segundo a presidente, o intuito é promover o turismo e a gastronomia, exibindo nesses lugares as riquezas e potencialidades do Brasil a públicos especificamente escolhidos.

Kátia ainda informou que após o ciclo de debates, a comissão fará, com apoio da CNC, do Senac, da Apex e da CNT, um calendário de eventos para o próximo ano, além de organizar as rotas turísticas e gastronômicas em pacotes para serem ofertados aos operadores de turismo no exterior, com objetivo de otimizar e incentivar ainda mais o turismo.


Publicidade

Redes sociais

107,350FãsCurtir
17,057SeguidoresSeguir
2,121SeguidoresSeguir

Lucas do Rio Verde

Lucas do Rio Verde
Confira o calendário esportivo para fevereiro e março de 2022 em Lucas do Rio Verde
janeiro 19, 2022
Lucas do Rio Verde
Janeiro Roxo: Lucas do Rio Verde realiza ações educativas sobre hanseníase nos PSFs
janeiro 19, 2022
AÇÃO INTEGRADA
Trio detido por tráfico de drogas em Lucas do Rio Verde tinha até máquina pra cartão
janeiro 18, 2022
Lucas do Rio Verde
Obras faz troca de madeiramento em manutenção de ponte no interior de Lucas do Rio Verde
janeiro 18, 2022