24.7 C
Lucas do Rio Verde
segunda-feira, 06 dezembro, 2021
InícioCENÁRIO POLÍTICODIRETO DE BRASÍLIAAudiência na CMO discutiu situação de obras com indícios de irregularidades

Audiência na CMO discutiu situação de obras com indícios de irregularidades

Por

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) promoveu nesta terça-feira (23) uma audiência pública para debater a situação de obras públicas com indícios de irregularidades. O debate foi presidido pelo deputado federal Paulo Azi (DEM-BA), coordenador do Comitê de Avaliação das Informações sobre Obras e Serviços com Indícios de Irregularidades Graves (COI). Esse comitê é um colegiado interno da CMO que tem como atribuição analisar informações enviadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e, eventualmente, propor o bloqueio de ações com indícios de anormalidades.

Paulo Azi afirmou que as informações trazidas ao comitê são importantes para a tomada de decisões da CMO, inclusive para a exclusão de projetos do rol de obras com indícios de irregularidades. O debate, realizado de forma semipresencial, contou com a participação de representantes do TCU, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e dos ministérios da Infraestrutura e do Desenvolvimento Regional.


--Continua depois da publicidade--

Transnordestina

O diretor de Transporte Ferroviário do Ministério da Infraestrutura, Ismael Trinks, afirmou que, a partir de 2019, a concessionária da ferrovia Transnordestina começou a apresentar os projetos para a ANTT. Segundo Trinks, os ajustes foram feitos até meados deste ano. Ele informou que a agência acatou os ajustes, mas apontou que ainda é preciso uma liberação do TCU. A ferrovia Transnordestina foi projetada para ligar o Porto de Pecém, no Ceará, ao Porto de Suape, em Pernambuco, além do cerrado do Piauí.

De acordo com Ismael Trinks, o governo não tem feito aportes na construção, diante da decisão do TCU de suspender repasse de recursos para a obra, ainda em 2017. Trinks disse que a obra tem recebido somente recursos privados. Desde 2019, acrescentou, a Transnordestina Logística S.A. (TLSA) colocou na obra recursos que somariam cerca de R$ 370 milhões.

O secretário de Infraestrutura Portuária e Ferroviária do TCU, Mauricio Ferreira Wanderley, informou que o processo está aguardando informações do Ministério da Infraestrutura a respeito de uma possível caducidade do contrato da Transnordestina. Ao responder a uma pergunta do deputado Paulo Azi, Wanderley disse que o TCU usou captação de imagem, com recursos de alta tecnologia, e identificou divergências em algumas informações a respeito da qualidade do trabalho e na comparação entre projeto e obra. Segundo o secretário, o trabalho não foi em frente por conta do aspecto privado do empreendimento. Ele disse que cabe à ANTT fazer a fiscalização da qualidade do trabalho e que “a agência está fazendo” isso.

Para o superintendente de Transporte Ferroviário substituto da ANTT, Fernando Augusto Formiga, o valor orçamentário de R$ 8,9 bilhões — aprovado recentemente pela agência para a Transnordestina — é um valor adequado para cobrir o total da obra, de cerca de 1.750 quilômetros. Ele disse que o valor pode ter uma pequena alteração, por questões pontuais. Segundo Formiga, caso venha a ser decretada a caducidade do contrato, terá de ser feito um cálculo mais criterioso a respeito da indenização.


--Continua depois da publicidade--

— Já foi feito um levantamento a respeito do montante, mas eu não poderia dar detalhes aqui — afirmou o superintendente.

BR-116

No caso da BR-116, o secretário de Fiscalização de Infraestrutura Rodoviária e de Aviação do TCU, Luiz Fernando de Souza, afirmou que o tribunal identificou irregularidades, inicialmente apontadas como graves, com indicativo de paralisação para a obra. A BR-116 vai desde o Rio Grande do Sul até o Ceará, com um total de cerca de 4,5 mil quilômetros. O trecho com irregularidades fica na Bahia, entre os municípios de Feira de Santana e Salvador.

Souza lembrou que, em 2019, o TCU indicou a obra para o quadro de bloqueio e, posteriormente, a CMO promoveu a exclusão dessa obra do quadro. Ele disse que as medidas saneadoras não foram cumpridas até o momento. Por isso, o TCU tem mantido a indicação da obra com indícios de irregularidade grave. Ele ponderou que não houve, ainda, deliberação do Plenário do TCU sobre o assunto.

Na visão do deputado federal João Bacelar (PL-BA), é importante a comissão fazer esse tipo de debate com os órgãos de controle. Ele disse ter a sensação de que o TCU está exorbitando de suas competências quando vai contra decisão da CMO em relação a obras com indícios de irregularidades. Para o deputado, se a CMO decide por retirar uma obra, o TCU não deveria ter condições de colocá-la novamente entre as suspeitas. Ele fez referência ao fato de o TCU ter colocado a ferrovia no rol de obras com indícios de irregularidades e a CMO tê-la retirado desse rol. Segundo o deputado, essa situação vem ocorrendo desde 2019.

— O TCU está desrespeitando o Congresso. Mais uma vez o TCU desrespeita a CMO — afirmou ele.

Para o coordenador-geral de Construção Rodoviária do Dnit, Alisson Jobim Nascimento, a importância da rodovia é incontestável. Ele disse que o órgão vem tomando providências para a regularização da obra. Segundo Nascimento, a empresa concessionária se recusou a fazer as alterações recomendadas e o Dnit abriu um processo administrativo para apurar a situação.

— Hoje, a situação está na Justiça, com vistas à rescisão do contrato — informou Nascimento.

De acordo com o superintendente regional do Dnit na Bahia, Amauri Souza Lima, a empresa que foi a segunda colocada na licitação teria condições de atender às exigências feitas pelo TCU. Ele disse que, por conta da judicialização, não é possível fornecer todas as informações demandadas pelo tribunal.


--Continua depois da publicidade--

— Acho que houve um pouco de precipitação do TCU nesse caso — opinou o superintendente.

O deputado federal Claudio Cajado (PP-BA) disse que a duplicação desse trecho da rodovia da BR-116 é essencial para a agilização do transporte de cargas e passageiros na região. Ele afirmou que essa obra não pode ficar parada e lamentou o fato de o problema se arrastar há mais de três anos.

BR-235

O secretário Luiz Fernando Souza, do TCU, informou que o contrato da BR-235 já está concluído, mas ainda está com indicativo de irregularidade grave. Segundo Souza, a discussão a respeito dos valores remanescentes permanece. A BR-235 é uma rodovia que vai desde o estado da Bahia até o Pará. As irregularidades foram identificadas em um trecho na Bahia.

O coordenador Alisson Nascimento, do Dnit, afirmou que a rodovia é muito importante para a integração regional, incluindo os estados de Sergipe e Piauí. Ele disse que o Dnit já apresentou algumas medidas para o TCU, mas apontou que o tribunal não aceitou as razões apresentadas.


--Continua depois da publicidade--

— A obra está praticamente acabada. Estamos apenas aguardando a resolução da tomada de contas especial para fazer o termo de recebimento da obra — disse Nascimento.  

BRT de Palmas

Em relação à obra do BRT de Palmas (TO), o secretário de Fiscalização de Infraestrutura Urbana do TCU, Samuel Sá Teles, afirmou que a fiscalização do tribunal identificou que o estudo de viabilidade técnica da obra se mostrava deficiente. Em 2017, o TCU recomendou medidas saneadoras para o município de Palmas. Ele disse, porém, que as informações enviadas não foram consideradas satisfatórias. Em 2020, o TCU entendeu que, diante da suspensão do contrato do governo federal com a capital do Tocantins, já não havia irregularidades envolvendo recursos federais.

O procurador do município de Palmas, Mário José Ribas, confirmou que a formalização da revogação do contrato deve ser feita de forma administrativa, nos próximos dias. Ele disse que a situação será informada ao TCU e à CMO.

BR-040

Conforme informou Luiz Fernando Souza, do TCU, a União fez aporte de recursos dentro do contrato de concessão do trecho da BR-040 que liga o Rio de Janeiro (RJ) a Juiz de Fora (MG). O TCU identificou indícios de sobrepreço e projeto desatualizado. Em 2017, o tribunal recomendou a paralisação da obra. Souza ressaltou que a obra já estava parada por falta de recursos federais. Até hoje, acrescentou o secretário, não foram apresentadas as medidas saneadoras — e por isso o TCU tem mantido a indicação de suspensão de recursos.

O coordenador de Informações em Processos Arbitrais da ANTT, Carlos Eduardo Neves, afirmou que o contrato permanece em vigor por conta de duas decisões judiciais. Ele destacou que a agência está limitada diante do posicionamento da Justiça. Segundo Neves, a ANTT fez um termo de parceria com a Universidade Federal de Santa Cataria (UFSC) para buscar atender às exigências do TCU, principalmente em relação aos valores relacionados ao projeto executivo e a deveres e direitos da concessionária. Ele acrescentou que já estão avançados os estudos sobre o quanto a concessionária estaria devendo para a agência, e apontou que, em breve, a obra já não mais constará do Orçamento da União.

CMO

A CMO tem a finalidade de examinar e emitir parecer sobre os projetos de lei do plano plurianual, das diretrizes orçamentárias, de lei orçamentária anual e seus créditos adicionais e sobre as contas apresentadas anualmente pelo presidente da República. A comissão também tem a competência para exercer o acompanhamento e a fiscalização da execução orçamentária e para emitir parecer sobre os planos e programas nacionais, regionais e setoriais.

A comissão é atualmente presidida pela senadora Rose de Freitas (MDB-ES) e tem como relator o deputado federal Hugo Leal (PSD-RJ). O relatório preliminar acerca do Orçamento de 2022 (PLN 19/2021) deve ser votado na comissão no dia 2 de dezembro.

Redes sociais

107,342FãsCurtir
17,057SeguidoresSeguir
2,098SeguidoresSeguir

Lucas do Rio Verde

No Rio Verde
Homem morre afogado na ‘Pedreira’ em Lucas do Rio Verde
dezembro 06, 2021
Em Lucas!
Bombeiros socorrem homem vítima de esfaqueamento em Lucas do Rio Verde
dezembro 06, 2021
TEMPO EM LUCAS
Instituto Nacional de Meteorologia emite alerta laranja para chuvas intensas em Lucas do Rio Verde
dezembro 06, 2021
ENSINO SUPERIOR
Candidatos participam de vestibular para ingressar na Unilasalle Lucas do Rio Verde
dezembro 05, 2021