Deputados lançam a Frente Parlamentar para o fortalecimento da indústria ferroviária brasileira

Fonte: CenárioMT com informações Assessoria

ferrovia
Foto: Ricardo Botelho/MT

Na última semana foi lançada em Brasília a Frente Parlamentar para o Fortalecimento da Indústria Ferroviária Brasileira. O evento foi considerado um marco para a história da indústria ferroviária no Brasil, destacando os pilares da iniciativa e a importância do setor para o crescimento do país e a redução de custos no transporte, inclusive de alimentos.

Durante o lançamento, o presidente da Frente, Deputado Federal Pedro Uczai (PT/SC), enfatizou a necessidade de sair do evento com um plano de trabalho estruturado. Segundo ele, a Frente tem dois grandes objetivos: o aperfeiçoamento da legislação brasileira pelo parlamento e a indução da indústria ferroviária, além de promover um diálogo entre o setor e o governo federal. “A ferrovia é um transporte mais barato, mais seguro, ambientalmente sustentável e induz o desenvolvimento por onde passa, contribuindo, inclusive, com os demais modais. Essa intermodalidade é imprescindível em um país continental”, afirmou Uczai.

Massimo Giavina, 1º vice-presidente do SIMEFRE (Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários), reforçou a importância do compromisso da sociedade com a indústria ferroviária, que é estratégica para o Brasil tanto no transporte de carga quanto de passageiros. Ele destacou que a indústria nacional oferece garantia e reposição de peças, ao contrário de produtos importados de baixa qualidade.

[-CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE-]

Vicente Abate, presidente da ABIFER (Associação Brasileira da Indústria Ferroviária), considerou a criação da Frente como um marco para a indústria ferroviária brasileira, destacando o apoio de mais de 209 deputados. “O setor ferroviário brasileiro, representado pelas concessionárias e por nossa indústria, é estratégico para o país”, disse Abate.

A Deputada Federal Denise Pessôa (PT/RS) destacou a importância da logística para a competitividade dos produtos e a necessidade urgente de renovação da frota ferroviária, subutilizada atualmente. “A renovação da frota é urgente. A gente precisa debater isso”, afirmou.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O Deputado Federal Mauro Pereira (MDB/RS), que representou o vice-presidente da Frente, Deputado Federal Baleia Rossi (MDB/SP), destacou o apoio recebido na construção da Frente e a força da iniciativa. “Vamos conseguir ser lembrados não como os que levam mais carga, mas os que trazem mais soluções para o Brasil”, declarou.

Para o Deputado Federal Padovani, também membro da Frente, é crucial que as legislações sejam harmonizadas para evitar paralisações nos projetos ferroviários por questões trabalhistas, sociais ou ambientais. “Somente assim a ferrovia será realmente um modal que dê futuro para o Brasil e para o Cone Sul”, explicou.

Os objetivos da Frente Parlamentar são sustentados por quatro pilares: governo federal, congresso nacional, concessionárias ferroviárias de carga e indústria ferroviária brasileira. Segundo Vicente Abate, uma indústria ferroviária forte e produtiva gera empregos, inovações tecnológicas e impulsiona o PIB do país.

Temas Prioritários da Gestão da Frente:

  1. Substituição da frota de vagões e locomotivas com mais de 50 anos por modelos com inovações tecnológicas sustentáveis, proporcionando economia de combustível e redução de emissões de CO².
  2. Geração de emprego e renda.
  3. Inserção da indústria ferroviária no programa “MOVER” do MDIC e obtenção de financiamento e incentivos do BNDES e do Fundo Clima.
  4. Aumento das divisas para o país através do transporte de maiores volumes de minérios, grãos, fertilizantes, celulose e carga conteinerizada.
  5. Maior sustentabilidade ambiental com menor emissão de GEE.
  6. Redução do custo logístico com maior eficiência energética.
  7. Aplicação de políticas de “ESG” na cadeia produtiva da indústria.
  8. Obtenção de isonomia tributária, equiparando o setor ferroviário aos demais modos de transporte.
  9. Apoio à política do Ministério dos Transportes para aumentar a participação ferroviária na matriz de carga brasileira dos atuais 27% para 40% até 2035.
É formado em Jornalismo. Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre política, economia e esporte regional.