20.7 C
Lucas do Rio Verde
sexta-feira, 05 março, 2021
Início CENÁRIO POLÍTICO Com histórico de irregularidades, prefeito de Rondonópolis pratica mais uma inconstitucionalidade

Com histórico de irregularidades, prefeito de Rondonópolis pratica mais uma inconstitucionalidade

Por REDAÇÃO CENÁRIOMT

O prefeito de Rondonópolis, Zé Carlos do Pátio (SD), mais uma vez insiste em quebrar seu juramento de chefe do Poder Executivo Municipal em defender as Constituições Estadual e Federal, e se recusa a obedecer a decisão judicial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). Na sexta-feira (19), a Secretaria Municipal de Transparência Pública e Controle Interno – criada de forma inconstitucional em 2020 – passou a ser chefiada por uma servidora que não é da carreira do controle interno.

Késia Eliana Paula Costa é servidora de carreira do município, mas ingressou no serviço público na modalidade nível médio, contrariando decisões do TJMT e orientações do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), que determinam que a Unidade de Controle Interno (UCI) dos municípios devem ser chefiadas por servidores de carreira, ingressos por meio de concurso público (nível superior) e pertencentes ao Controle Interno.

Segundo o presidente da Associação dos Auditores e Controladores Internos dos Municípios de Mato Grosso (AUDICOM), Leonardo Luiz Artuzi, o problema é que o prefeito de Rondonópolis demonstra não estar nenhum pouco preocupado em defender ou seguir as Constituições – Estadual e Federal – muito menos as determinações judiciais.

“O TJMT já julgou na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 1010030-36) que tanto os cargos próprios do Controle Interno quanto de chefia da UCI devem ser ocupados, respectivamente, por meio de concurso público e por servidores de carreira, dado o nível de especificidade da função e da necessidade de autonomia em relação ao prefeito. Mas o que vemos em Rondonópolis é o oposto, e mais uma vez o critério da indicação política tem sido utilizado”, diz Artuzi.

Histórico de inconstitucionalidades

Em maio de 2020, o TJMT declarou inconstitucionais duas leis do Município de Rondonópolis (nº 059/2007 e nº 089/2010), que permitiam a livre nomeação para cargos comissionados como auditores e controladores internos, chefia da UCI, e outras funções criadas de forma discricionária, e irregular, pelo prefeito.

Para burlar essa decisão, Zé Carlos do Pátio, com anuência da Câmara Municipal de Rondonópolis, criou uma secretaria nova, a de Transparência Pública e Controle Interno. A AUDICOM mais uma vez ajuizou uma ADI junto ao TJMT (nº 1018096-68), demonstrando a inconstitucionalidade cometida pela gestão. Essa ADI está na iminência de ser julgada pelo TJMT.

Nesta semana também está previsto o julgamento de uma denúncia feita ao TCE-MT, em 2017, Processo nº 204820/2017, que narram as irregularidades no controle interno de Rondonópolis.

“Diante desse histórico, nós membros do controle interno municipal esperávamos que no mínimo a força de um acórdão judicial pudesse ser respeitado, já que a mudança de consciência parece ser inalcançável frente ao poderio político que cerca as estruturas do poder público municipal de Rondonópolis. Mas a AUDICOM continuará fazendo sua parte e denunciando toda irregularidade que afronte as prerrogativas dos auditores e controladores internos dos municípios”, defende o presidente de honra da associação, Angelo Silva Oliveira.



© CenárioMThttps://www.cenariomt.com.br
CenárioMT - Publicamos notícias diariamente no portal!
- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

Lucas do Rio Verde
Empresa abre 150 vagas para operador de produção em Lucas do Rio Verde
março 04, 2021
PRINCÍPIO DE INCÊNDIO
Lucas: Curto circuito queima ar condicionado e provoca princípio de incêndio em comércio
março 04, 2021