21.3 C
Lucas do Rio Verde
domingo, 07 março, 2021
Início CENÁRIO POLÍTICO Caso Marielle: Bolsonaro é citado em investigação que pode ser levada ao...

Caso Marielle: Bolsonaro é citado em investigação que pode ser levada ao STF

Por CenárioMT - Gau Figueirêdo

Em uma reportagem exibida ontem à noite pelo Jornal Nacional, da TV Globo, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) teve seu nome citado em um depoimento realizado por um porteiro do Condomínio Vivendas da Barra, no Rio de Janeiro em que morava Ronnie Lessa, um dos acusados de ter matado a vereadora Marielle Franco (PSOL) e seu motorista Anderson Gomes,  em março de 2018.

Com a citação o Supremo Tribunal Federal (STF) poderá ser obrigado a se pronunciar sobre o caso.


--Continua depois da publicidade--

De acordo com a reportagem exibida nesta terça, dia 29, pelo Jornal Nacional o porteiro afirmou à Polícia Civil que às 17:10, de 14 de março de 2018 (horas ante da ocorrência do crime), um homem chamado Élcio (que seria Élcio Queiroz o outro acusado pelo duplo homicídio) entrou no condomínio dirigindo um Renault Logan prata e que teria afirmado que iria à casa 58, onde morava Jair Bolsonaro.

O porteiro disse que ligou para à casa 58 e quem atendeu foi “seu Jair” que autorizou a entrada de Élcio. Naquele momento Bolsonaro era deputado federal e estava em Brasília segundo os registros da Câmara dos Deputados.

Ainda no depoimento, o porteiro afirmou à polícia que acompanhou a movimentação do carro através das câmeras de segurança do condomínio e observou que o carro não foi à casa 58, mas sim a 66 onde morava Ronnie Lessa que foi preso, assim como Élcio em março deste ano acusado de ter disparado os tiros que mataram tanto Marielle quanto o Anderson enquanto Élcio dirigia o carro.

O porteiro ainda disse à polícia que ao verificar que o carro tinha mudado o seu destino ligou novamente para a casa 58 e o “seu Jair” mais uma vez atendeu e afirmou que sabia para onde Élcio se dirigia.


--Continua depois da publicidade--

Agora a Polícia Civil busca localizar as gravações das conversas realizadas pelo interfone, já que foram informados que elas ficam gravadas. Por outro lado, os integrantes do Ministério Público do Rio de Janeiro que acompanham a investigação sobre a morte de Marielle foram à Brasília no último dia 17 para se encontrar e consultar o presidente do STF, Dias Toffoli, sobre a continuidade da apuração do processo. No caso, eles queriam saber se com a citação realizada pelo porteiro sobre Bolsonaro seria obrigatório a autorização do STF para que a investigação desse continuidade, já que Bolsonaro, por ser presidente da República, possui foro privilegiado.

Com a repercussão da notícia, Bolsonaro que se encontra em Riad, na Arábia Saudita, realizando as suas visitas aos países da Ásia e do Oriente Médio em um período de 10 dias fez uma live gravada por volta das 4 horas da manhã para se pronunciar sobre o assunto.

Nas redes sociais o presidente se isentou da responsabilidade do crime e aproveitou a ocasião para realizar duras críticas quanto a imprensa, em especial à TV Globo. Bolsonaro insinuou que as informações do processo que se encontram sob sigilo teriam sido vazadas pelo governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC) e ainda considerou “o governador Wilson Witzel que se explique agora como vazou esse processo“, e continuou “o senhor só se elegeu governador porque ficou o tempo todo colado com o meu filho, o senador Flávio Bolsonaro. Assim que cheguei à presidência, aprimeira coisa que o senhor fez foi se tornar inimigo dele para concorrer à presidência de 2022“, afirmou.

Como publicado nesta semana aqui, no CenárioMT, o governador do Rio é um dos potenciais candidatos à sucessão presidencial.

Nas eleições passadas, Witzel apoiou Bolsonaro, mas depois se resolveu afastar, o que para muitos é um posicionamento claro e estratégico para a próxima eleição presidencial de 2022.

Quanto ao caso da investigação sobre a morte da vereadora Marielle Franco,  Bolsonaro declarou “Estou à disposição para falar sobre esse processo, conversar com o delegado sobre esse assunto, para começar a colocar em pratos limpos o que está acontecendo em meu nome. Porque estão querendo me destruir?”, e continuou “o que cheira isso aqui, o que parece é que o porteiro mentiu ou foi induzido a cometer um falso testemunho ou escreveram algo no inquérito que o porteiro não leu e assinou embaixo, em confiança ao delegado, ou a quem que foi ouvido na portaria. Qual é a intenção disso tudo? A intenção é sempre a mesma. O tempo todo ficam em cima da minha vida, dos meus filhos“, disse.

Bolsonaro não poupou a TV Globo e declarouseus patifes da TV Globo! Seus canalhas! Não vai colar! Não tinha motivo para matar a quem quer que fosse no Rio de Janeiro“, e complementou “tenho certeza de que o porteiro não sabe o que assinou“, finalizou. Segundo o presidente, ele não conhecia a vereadora do Rio, Marielle Franco.

300 dias de governo: Bolsonaro lança nova agenda positiva



© CenárioMThttps://www.cenariomt.com.br
CenárioMT - Publicamos notícias diariamente no portal!
- Publicidade -

Últimas no CenárioMT

Lucas do Rio Verde

PREÇO ALTO!
Lucas: Mesmo com chuva, grupo se reúne para pedir preço justo em combustíveis
março 06, 2021
PISTA INTERDITADA
Motorista é encaminhado para o hospital após acidente na BR 163 em Lucas do Rio Verde
março 06, 2021