Após Sérgio Moro deixar o Governo: Dólar dispara, entenda o motivo

Depois que Sérgio Moro pediu demissão do Ministério da Justiça, o dólar disparou, subindo a um novo pico. Em contrapartida, o Ibovespa sofreu uma queda.

0

 

O que levou ao pedido de demissão do ex-ministro da justiça teria sido o pedido feito por Jair Bolsonaro, de substituir Maurício Valeixo que, até então, ocupava o cargo de diretor-geral da Polícia Federal.

Quem indicou Valeixo, originalmente, foi Sérgio Moro. Valeixo já atuou como Superintendente da corporação no estado do Paraná, como responsável pela operação Lava Jato. E deixou o cargo para se tornar diretor-geral da Polícia Federal, após receber o convite de Sérgio Moro, então Ministro da Justiça.

Impactos na economia

 

Após a saída de Sérgio Moro do Ministério da Justiça, o Ibovespa passou por situações bem complicadas, caindo drasticamente cerca de 4%, depois que a matéria foi publicada na Folha de São Paulo.

Na ocasião, as negociações do dólar dispararam na IQOption. Na Bolsa de Valores, o dólar comercial fechou em alta, sendo vendido a R$ 5,668, apresentando uma alta de 2,54%. Com esse resultado, essa moeda conseguiu bater o recorde nominal de fechamento, desconsiderando a inflação, desde que o Plano Real foi criado, pelo 3° dia seguido.

O dólar fechou a semana do pedido de demissão de Sérgio Moto com uma alta de 8,25%. Essa é a maior alta desde o mês de novembro de 2008, quando aconteceu o auge da crise financeira que assolou o mundo todo.  Nesse ano, o dólar já acumulava uma valorização de cerca de 41%.

Enquanto isso, o principal Índice de Valores do país apresentou uma queda de 5,45%, caindo para 75.330,61 pontos. E fechou a semana acumulando uma queda de 4,63%, depois de apresentar 2 altas semanais. A queda acumulada pela Bolsa no ano já representa 34,86%.

O valor do dólar que está sendo divulgado pela imprensa todos os dias, é o valor do dólar comercial. No entanto, para as pessoas que irão viajar, e precisam comprar essa moeda nas corretoras de câmbio, podem esperar um preço muito mais alto.

Saída de Moro e a tensão no cenário político

O mercado permanece atento ao momento político, em virtude da exoneração de Maurício Valeixo, e de uma provável crise com a demissão de Sérgio Moro.

O mercado, que já estava abalado com as mudanças na política fiscal, em virtude da deterioração de expectativas para o campo da economia, e também pelo grande fluxo da saída de moeda, ficou ainda pior com a possibilidade de Sérgio Moro deixar o Ministério da Justiça.

E, no momento em que Moro anunciou que estava, de fato, deixando o ministério, as coisas ficaram ainda piores. O ex-ministro acusou o presidente Jair Bolsonaro de querer interferir politicamente. Isso causou uma grande crise política, que é capaz de conduzir a economia para um lado que ninguém esperava.

No pior momento da sessão, o Ibovespa caiu mais que 9,5%, depois que Sérgio Moro pediu demissão. Caso a queda chegasse a 10%, haveria uma interrupção no pregão por trinta minutos, em um evento chamado de circuit breaker, que interrompe as negociações na Bolsa, para que o mercado se acalme.

VEJA TAMBÉM

Leia também: Previsões para o horóscopo do dia de hoje (09/08/2020)


Amazonia 03 de Junho