Senar-MT e Sindicatos Rurais de Lucas do Rio Verde e Nova Mutum validam projeto piloto ATeG Grãos

Fonte: Assessoria

WhatsApp Image 2024 06 25 at 15.05.49 2

A Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Senar-MT esteve em reunião junto aos Sindicatos Rurais de Lucas do Rio Verde e Nova Mutum para apresentar e validar o Projeto Piloto da ATeG Grãos na terça-feira, 25 de junho. O projeto tem previsão para iniciar em agosto nas regiões e terá duração de 24 meses.

A nova frente foi solicitada pelo presidente do Sistema Famato, Vilmondes Tomain, visando atender uma demanda específica dos produtores da cadeia produtiva de grãos. Os presidentes dos Sindicatos, Marcelo Lupatini e Paulo Zen, juntamente com os profissionais do Senar-MT identificaram a necessidade de adequar a metodologia existente para essa modalidade de cultivo, que tem especificidades em Mato Grosso e demandam uma assistência técnica e gerencial mais presente nas propriedades.

Segundo o coordenador da ATeG, Bernardo Modesto Carvalho, é importante que o Senar-MT apoie iniciativas que busquem a melhoria nos atendimentos realizados pela instituição. “Lupatini e Zen além de serem presidentes dos sindicatos, são produtores e têm experiência em campo, tendo uma participação significativa na elaboração do projeto, que visa o aperfeiçoamento das demandas dos produtores de grãos, como a soja e o milho”, explicou Bernardo Modesto Carvalho.

A supervisora da ATeG, Ianna Marília Alves, explica que no piloto serão formadas duas frentes de atendimento nas regiões de Nova Mutum e Lucas do Rio Verde e iniciarão os atendimentos no mês de agosto: “A nossa metodologia atual é uma vez por mês, durante quatro horas as visitas e atendem a 30 produtores. Porém, para contemplar esses produtores com as demandas solicitadas, o projeto foi elaborado para grupos de sete produtores, em quatro horas de atendimento e visitas semanais”.

Também explica que teve o apoio do Instituto Agrihub, na busca de empresas de soluções que auxiliem o projeto. Assim, chegou-se a um aplicativo que será uma ferramenta que ajudará no controle das propriedades, fazendo check-in, check-out, sinalizando onde o técnico de campo passou nos talhões e o que identificou, fazendo lançamento de estoque de produtos, entre outras facilidades.

O presidente do Sindicato Rural de Lucas do Rio Verde, Marcelo Lupatini, tem esperança de que a nova frente de atendimentos seja um divisor de águas na gestão das propriedades. “Esse projeto foi idealizado em cima da realidade das propriedades aqui na nossa região, então é sobre medida para os produtores. Nele poderemos contar com a estrutura do Senar para nos ajudar a melhorar os processos e capacitar a nossa equipe, pois uma propriedade rural bem gerida traz maior resultado financeiro, clareza de funções e menor risco nas operações”, disse Marcelo.

Já o presidente do Sindicato Rural de Nova Mutum, Paulo Zen, ressalta que a presença mais incisiva do técnico de campo levantará dados que oferecerão uma análise mais profunda das produções e prevê que o produtor poderá se surpreender com esses resultados.

“Temos que estar sempre atualizando e mudando. Às vezes o certo de hoje, amanhã pode ser melhorado ou já ficou ultrapassado. Para ter uma propriedade é necessário controle, produzir é a parte prazerosa, mas o desafio é fazer a sua produção ser rentável”, disse o presidente do sindicato de Nova Mutum que disponibilizou sua propriedade para estudo do Projeto Piloto.

Também participou da reunião o especialista em Farmbox, Olimpio Laerte Leivas.

É formado em Jornalismo. Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre política, economia e esporte regional.