33.3 C
Lucas do Rio Verde
sexta-feira, 24 setembro, 2021
InícioCENÁRIO AGROProdução mato-grossense encolhe 3,3%, prevê Conab

Produção mato-grossense encolhe 3,3%, prevê Conab

Conab prevê que a produção do Estado deve somar 72,43 milhões de toneladas (t) ante 74,89 milhões t no ano passado
Por MARIANNA PERES - DIÁRIO DE CUIABÁ

O último levantamento para esta safra divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) confirmou retração de 3,3% da produção mato-grossense em relação à safra passada, a 20219/20. Com essa nova atualização o Estado soma 72,43 milhões de toneladas (t) ante 74,89 milhões t no ano passado.

A retração na oferta deriva justamente das condições climáticas adversas encontradas pelos produtos nesse ciclo, como seca no início do calendário anual, impactando na primeira e segunda safra. Mesmo com avanço na área cultivada em 3% – que saiu de 17,21 milhões de hectares cultivados para 17,72 milhões – houve perdas significativas. A cultura mais atingida pelo clima foi o milho safrinha.


--Continua depois da publicidade--

O milho, como aponta a Companhia, foi a cultura mais atingida porque mesmo com ampliação de 7,7% na área plantada, registrou perdas de 5,2% na produção. A safrinha do cereal em Mato Grosso é a maior do País e sofreu com atraso na colheita da soja – ambas as culturas ocupam o mesmo espaço no Estado, uma sucede a outra – que empurrou o plantio do milho para fora da janela ideal e com isso, o período de desenvolvimento das plantas não teve suporte hídrico necessário, resultando em baixa produtividade. Mesmo com área histórica, 5,82 milhões de hectares, a oferta do cereal fecha o ciclo com 32,80 milhões t ante 34,60 milhões em 2019/20.

O algodão em pluma foi a cultura com maior redução de oferta, 22,9%, mas teve também o maior recuo em área plantada, 17,6%. O saldo anual é uma produção de 1,61 milhão de toneladas ante 2,09 milhões t no ciclo anterior.

A soja, que também teve projeções de recorde de produção, fechou o ano com 35,88 milhões t, volume que segundo a Conab, ficou em linha com o registrado em 2020. Afetada pelo clima, a produtividade encolheu, já que a superfície cultivada cresceu anualmente, atingiu 10,29 milhões de hectares – a maior já registrada no Estado -, 2,9% a mais que em 2019/20.

Mesmo diante de uma oferta menor, o volume contabilizado em 2021 é suficiente para que Mato Grosso siga liderando a oferta nacional, completando nesse ciclo a 9ª temporada como o maior produtor brasileiro e respondendo sozinho por 29% da oferta global do País, nesta temporada.


--Continua depois da publicidade--

BRASIL – A produção nacional fecha o ciclo com um volume estimado de 252,3 milhões t, redução de 1,8% sobre a safra passada e 4,7 milhões de toneladas inferior à previsão do levantamento realizado em agosto deste ano.

De acordo com a Conab, as áreas das culturas de primeira safra estão totalmente colhidas, as de segunda safra em fase final de colheita, as de terceira safra desde a fase de florescimento até o final da colheita, e as de inverno no início da colheita, que será intensificada a partir de setembro.

No caso do milho, a produção total é de 85,75 milhões de toneladas, volume 16,4% menor que em 2019/20, quando fechou em 102,5 milhões de toneladas. A primeira safra está com a colheita finalizada e a segunda safra com 86,9% concluída até o final de agosto. Para a terceira safra, situada na região do Sealba (Sergipe, Alagoas e nordeste da Bahia), além dos cultivos em Pernambuco e Roraima, as fases das lavouras variam desde a fase vegetativa até as operações de colheita.

A produção de soja foi a que equilibrou mais os números totais da safra, com uma produção recorde estimada em 135,9 milhões de toneladas, aumento de 8,9% em relação à safra 2019/20. O levantamento feito pela Companhia mostra que a colheita está praticamente finalizada, restando a produção de Roraima e Alagoas, que representam pouco mais de 0,1% do volume nacional.

Outra cultura com número positivo é o arroz, que nesta safra tem produção estimada em 11,75 milhões de toneladas, 5% superior ao volume produzido na temporada anterior. Desse total, 10,8 milhões de toneladas são cultivadas com irrigado e 921 mil toneladas em áreas de plantio de sequeiro. A colheita da safra 2020/21 já foi concluída no país, e alguns estados produtores iniciaram o plantio da safra 2021/22.

O algodão teve redução nesta safra, com a produção estimada em 2,36 milhões de toneladas de pluma, 21,5% inferior à safra passada. Mas a queda esteve mais relacionada à diminuição da área plantada do que com as condições climáticas, que de modo geral até favoreceram o bom desenvolvimento dessas lavouras. Já para as culturas de inverno (aveia, canola, centeio, cevada, trigo e triticale), projeta-se um incremento de 13,1% na área plantada. Destaque para o trigo, que apresenta um expressivo crescimento na área de 14,9%, situando-se em 2,69 milhões de hectares. A estimativa atual é de uma produção de 8,15 milhões de toneladas, a depender das condições climáticas até outubro.

© CenárioMThttps://www.cenariomt.com.br
CenárioMT - Publicamos notícias diariamente no portal!

Redes sociais

107,333FãsCurtir
17,057SeguidoresSeguir
2,040SeguidoresSeguir

Lucas do Rio Verde

Lucas do Rio Verde
Moradores do Bom Jesus participam de pesquisa sobre intervenções urbanas no bairro
setembro 24, 2021
LOGÍSTICA
Trecho da Fico até Lucas do Rio Verde tem pedido de operacionalização feito junto ao Governo Federal
setembro 24, 2021
GUARDA MUNICIPAL EM AÇÃO!
Idoso é detido suspeito de cometer abuso sexual contra criança de 03 anos em Lucas do Rio Verde
setembro 24, 2021
Lucas do Rio Verde
Mais de 1.500 jovens de 19 anos ou mais são vacinados contra a Covid-19
setembro 23, 2021