22.1 C
Lucas do Rio Verde
terça-feira, 24 novembro, 2020
Início CENÁRIO AGRO Por que a carne está tão cara no Brasil?

Por que a carne está tão cara no Brasil?

Aumento nos preços fez consumidores mudarem o cardápio e reduzirem o consumo
Por REDAÇÃO CENÁRIOMT

O aumento no preço da carne vermelha está fazendo muita gente abandonar o famoso churrasco. Com a alta dos preços, encontrar a melhor carne para churrasco não tem sido uma tarefa fácil para quem curte assar uma carne e reunir os amigos e a família para celebrar uma data especial, por exemplo.

De março até agora, a carne vermelha teve um reajuste médio de 40%. Especialistas afirmam que a falta de chuvas no campo, o aumento do consumo durante a pandemia e, principalmente, o crescimento das exportações são os motivos para a alta nos preços.

Esse é um cenário que não vai passar rapidamente. Economistas afirmam que, pelo menos até o final do ano, o brasileiro vai ter de conviver com a alta dos preços dos alimentos básicos, como arroz, carnes, óleo de soja e feijão.

Dólar em alta, oferta ainda escassa desses produtos por causa da entressafra e o auxílio emergencial mesmo pela metade, garantindo o consumo dos mais pobres, são fatores apontados por economistas e varejistas para que os preços dos alimentos continuem subindo.

O gerente de pecuária da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro), Thiago Túlio, explica que o aumento tem duas explicações.

“O primeiro cenário é que houve uma redução da nossa taxa de abate de animais. Isso se deve, primeiramente, pela baixa quantidade de animais que estão sendo ofertados nesse período do ano e segundo devido à pandemia. Nós passamos por um momento muito preocupante onde houve fechamento de algumas plantas frigoríficas e paralisação de alguns abastes”, afirmou ao site G1.

Um levantamento feito pelo Procon mostra que, em fevereiro, antes da pandemia, era possível comprar na capital picanha de R$ 38,90 a R$ 49. O coxão mole custava R$ 23,99 a R$ 29,99. O músculo que é carne de segunda, o menor preço era R$ 16,99 o maior R$ 19,99.

No início de outubro o preço da picanha saltou, podendo ser encontrado de R$ 42,90 a R$ 89,90. O coxão mole está sendo vendido de R$ 28,77 a R$ 41,98. O músculo custa entre R$ 25,90 e 33,90.

“Com as importações que o Brasil está realizando nesse período, em virtude da alta do dólar, estão encarecendo as matérias primas que nós necessitamos para fazer a produção”, explicou Thiago Túlio.

Diante desse cenário, é melhor adiar o churrasco por algumas semanas. Se ainda assim assar uma carne seja o objetivo, a opção é procurar peças mais baratas, e deixar a famosa picanha em segundo plano.



© CenárioMThttps://www.cenariomt.com.br
CenárioMT - Publicamos notícias diariamente no portal!
- Publicidade -

Últimas

Produtores de Sorriso inovam e passam a usar ração de mandioca na criação das aves

Sabe aquele frango caipira, preparado com todo carinho? Então, em Sorriso o cuidado com esse frango inicia bem antes do momento de temperar, marinar,...

Prefeitura de Sorriso alerta para golpe com arrecadação de alimentos e recursos financeiros

A Administração Municipal alerta os moradores para que fiquem atentos a criminosos que têm aproveitado a pandemia da Covid-19 para aplicar golpes com a...

Matrículas na rede municipal de ensino de Sinop seguem até janeiro de 2021

A Prefeitura de Sinop, por meio da Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Cultura (S.M.E.E.C), informa que encontram-se abertas até janeiro de 2021, as...

Sinop busca organização coletiva para desenvolver setor do turismo de forma integrada

Inserida no Portal do Agronegócio, classificação dada pelo Ministério do Turismo, Sinop participou, ontem, quarta-feira, 18, de uma consultoria oferecida pelo Serviço Brasileiro de...
Publicidade