23.3 C
Lucas do Rio Verde
quarta-feira, 19 janeiro, 2022
Publicidade
InícioCENÁRIO AGROMilho - A safrinha sem cigarrinha

Milho – A safrinha sem cigarrinha

Por CenárioMT

A agricultura brasileira por suas constantes mudanças climáticas, somada a alta produtividade em função das demandas de alimento do mundo, enfrentam todos os dias desafios. Somos um país de quilômetros de distância e com características diferentes em alguns aspectos e muito similares em outros. Em comum, a pressão de pragas. Qualquer região que se cultive milho é uma forte candidata às pragas, como destaque o percevejo-barriga-verde e a cigarrinha,responsáveis pela falta de sono de muitos produtores. Mas, é possível uma safrinha de milho sem cigarrinha? A melhor resposta para essa pergunta está no manejo constante da área com a utilização de soluções que auxiliem no controle e eliminação dela, mantendo ou até mesmo maximizando a produtividade.

Em breve viveremos, em alguns estados, a época do milho-safrinha que vem ganhando cada vez mais espaço como oportunidade de rotação de cultura após a colheita de soja, feijão, por exemplo. E para que essa cultura se desenvolva de forma interessante é necessário que haja disponibilidade de água, um solo bem manejado. Daqui a pouco iniciam os períodos de maiores temperaturas e umidade, e com ele o aumento da pressão das pragas, que por seu perfil de alta intensidade se multiplicarão, fazendo “pontes” até o milho de segunda safra ou safrinha.


--Continua depois da publicidade--

E é neste momento que a cigarrinha do milho (Dalbulus maidis) ganha ainda mais espaço. Seus danos são severos, afinal elas são vetores de fitopatógenos como os Mollicutes, a principal causadora do complexo de enfezamentos do milho, prejudicando a translocação de nutrientes, além de formação de espigas, enchimento dos grãos, levando a uma redução de produtividade considerável e prejuízos ao produtor.

O grande problema na cigarrinha é sua capacidade de migrar e se reproduzir com muita rapidez e passando a infestar outras áreas vizinhas com grande velocidade. “Hoje os produtores contam com formas eficientes de combater esta praga através do Manejo Integrado de Pragas. Além do manejo e da observação precoce do campo, é indicado escolher híbridos com menor suscetibilidade à praga, o tratamento de sementes, bem como aplicações foliares de inseticidas em intervalos adequados, desde a emergência da planta.”, explica Débora Prado, Gerente de Cultura Centro-Sul da FMC.

Para apoiar no manejo correto e na eliminação desta praga a FMC TEM produtos e tecnologias como o inseticida Talisman®, uma importante ferramenta no manejo de resistência, que mantém as populações de cigarrinha em níveis baixos, diminuindo o risco de severidade e contaminação das lavouras, devido a sua grande potencialidade de controle e eliminação. Além disso, ele também atua de maneira ampliada, se tornando uma aliada no controle do percevejo-barriga-verde, incluindo ovos e ninfas, com efeito residual, além de pulgões. E para o tratamento das sementes Rocks®, que entrega mais vigor à planta e qualidade à semente.

Gustavo Praiadohttps://www.cenariomt.com.br
Atualmente, trabalha na equipe do portal CenárioMT, produzindo conteúdo sobre economia, esportes e direitos da população brasileira, gosta de assistir séries, filmes de ação e de videogames. Editor também em conteúdos regionais, sempre atento as tendências que o internauta procura para ficar bem informado.

Publicidade

Redes sociais

107,350FãsCurtir
17,057SeguidoresSeguir
2,121SeguidoresSeguir

Lucas do Rio Verde

Lucas do Rio Verde
Confira o calendário esportivo para fevereiro e março de 2022 em Lucas do Rio Verde
janeiro 19, 2022
Lucas do Rio Verde
Janeiro Roxo: Lucas do Rio Verde realiza ações educativas sobre hanseníase nos PSFs
janeiro 19, 2022
AÇÃO INTEGRADA
Trio detido por tráfico de drogas em Lucas do Rio Verde tinha até máquina pra cartão
janeiro 18, 2022
Lucas do Rio Verde
Obras faz troca de madeiramento em manutenção de ponte no interior de Lucas do Rio Verde
janeiro 18, 2022