35.1 C
Lucas do Rio Verde
domingo, 01 agosto, 2021
InícioCENÁRIO AGROMesmo liderando ranking nacional, MT só armazena 58% da sua produção

Mesmo liderando ranking nacional, MT só armazena 58% da sua produção

Estado deixou ‘de fora’ cerca de 31 milhões t de uma oferta total no ciclo 2019/20 de 74,89 milhões t, volume recorde na série histórica
Por MARIANNA PERES - DIÁRIO DE CUIABÁ

Além de produção, Mato Grosso também lidera outro ranking nacional ligado ao setor do agro no País. O Estado detém a maior capacidade de armazenagem agrícola, podendo acondicionar pouco mais de 43,6 milhões de toneladas (t). Apesar da posição de destaque no cenário brasileiro, o volume representa apenas 58% de tudo que foi ofertado na safra 2019/20. Com um saldo agrícola de 74,89 milhões t, recorde histórico, observa-se que cerca de 31 milhões t ficaram ‘de fora’ no ano passado.

Os dados são da Pesquisa de Estoques do segundo semestre de 2020, realizada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).


--Continua depois da publicidade--

Conforme a atualização, no segundo semestre de 2020, a capacidade disponível para armazenamento no Brasil foi de 176,3 milhões de toneladas, 0,1% inferior ao semestre anterior. O número de estabelecimentos manteve-se estável, com 7,9 mil. Entre as regiões, apenas Sudeste e Sul tiveram quedas (-0,1%, ambas) com as demais regiões mantendo estabilidade.

O Rio Grande do Sul possui o maior número de estabelecimentos de armazenagem (1.923) e Mato Grosso a maior capacidade (43,6 milhões de toneladas).

Como elenca a pesquisa, o Rio Grande do Sul possui o maior número de estabelecimentos de armazenagem (1.923), seguido de Mato Grosso (1.376) e do Paraná (1.325). Da capacidade de Mato Grosso de armazenar – em 43,6 milhões t – 58,8% são do tipo graneleiros e 34% são silos. O Rio Grande do Sul e o Paraná possuem 32,7 e 32,1 milhões t de capacidade, respectivamente, sendo o silo o tipo de armazém predominante nesses estados.

Os silos predominam no país, com capacidade para armazenar 87,3 milhões de toneladas no segundo semestre de 2020, ou 49,5% da capacidade do país. Em relação ao primeiro semestre de 2020, houve aumento de 0,6% nessa capacidade.


--Continua depois da publicidade--

Por região, os silos predominam no Sul, sendo responsáveis por 61,7% da capacidade armazenadora da região e 49,8% da capacidade total de silos do país. Um dos fatores importantes para este resultado foi a preferência dos proprietários e administradores dos estabelecimentos por unidades com maior flexibilidade operacional.

O tipo “graneleiros e granelizados” aparece com maior intensidade no Centro-Oeste, com 53,4% da capacidade da região e 55,6% da capacidade total. Esta região conta com a maior participação na produção nacional de grãos.

Os armazéns convencionais, estruturais e infláveis predominam no Sul (35,3%), seguido pelo Sudeste (31,1%), principal região produtora de café, produto que é armazenado em sacarias e que utiliza este tipo de armazém.

Juntas, as regiões Sul e Centro-Oeste reúnem 66,4% da capacidade total de armazéns convencionais, estruturais e infláveis do país.

Gustavo Praiadohttps://www.cenariomt.com.br
Gosta de economia, assistir séries, filmes de ação e gosta de videogames. Editor no CenárioMT nos cadernos de Economia e Mundo, mas nem por isso deixa uma notícia regional em branco, sempre atento as tendências que o internauta procura para ficar bem informado.
- Publicidade -

Lucas do Rio Verde

Lucas do Rio Verde
Lucas do Rio Verde adere campanha “Agosto Dourado” em incentivo ao aleitamento materno
agosto 01, 2021
33 anos
Prefeitura anuncia ações voltadas para o aniversário de Lucas do Rio Verde
agosto 01, 2021