Mercado de frutas: laranja pera e tangerina poncã mantêm preços altos mesmo com demanda enfraquecida

Fonte: CenárioMT

frutas
© Valter Campanato/Agência Brasil

Com a chegada de temperaturas mais baixas, a demanda por laranja tem mostrado sinais de enfraquecimento, de acordo com colaboradores consultados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Apesar desse cenário, os preços da laranja no mercado in natura continuam elevados, sustentados por uma oferta limitada e pelos altos valores praticados também pela indústria.

Na parcial desta semana, que abrange os dias de segunda a quinta-feira, o preço médio da laranja pera na árvore alcançou R$ 84,60 por caixa de 40,8 kg. Esse valor representa um aumento de 0,88% em relação ao período anterior. A elevação nos preços, mesmo diante de uma demanda mais fraca, destaca a influência da oferta restrita e da valorização da fruta no contexto industrial.

Enquanto isso, a demanda pela tangerina poncã se mantém firme. Nesta semana, a tangerina está sendo comercializada a uma média de R$ 63,39 por caixa de 27 kg na árvore. Esse valor reflete uma pequena queda de 1,46% em comparação com a semana anterior. A ligeira diminuição nos preços não tem sido suficiente para abalar a estabilidade da demanda por essa fruta, que continua robusta.

Implicações no Mercado

As flutuações nos preços da laranja pera e da tangerina poncã oferecem uma visão clara sobre a dinâmica atual do mercado de frutas. A oferta limitada de laranja e os elevados preços industriais atuam como fatores-chave na sustentação dos valores elevados da fruta, mesmo com uma demanda enfraquecida pelas condições climáticas mais frias. Por outro lado, a tangerina poncã mantém uma demanda estável, demonstrando a resiliência desse segmento, apesar da ligeira queda nos preços.

O mercado de frutas in natura segue mostrando resiliência nos preços, impulsionado por fatores de oferta e demanda específicas para cada tipo de fruta. A laranja pera, apesar da demanda enfraquecida, mantém preços altos devido à oferta limitada e à valorização pela indústria. A tangerina poncã, mesmo com uma pequena queda nos preços, continua a ser bem demandada, refletindo uma estabilidade nesse segmento do mercado. Essas dinâmicas ressaltam a importância de monitorar continuamente as condições de oferta e demanda para entender as tendências de preços e fazer previsões mais precisas para o setor.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
É formado em Jornalismo. Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do CenárioMT produzindo conteúdo sobre política, economia e esporte regional.