Fiscalização de estabelecimentos continua intensa em Sinop

0

Vigilância Sanitária, Procon, Guarda Civil Municipal, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar estão intensificando a operação de fiscalização nos estabelecimentos com atendimento noturno da cidade.

A missão é verificar o cumprimento do Código Sanitário Municipal e as normas estabelecidas em seus artigos, bem como o Decreto Municipal 141/2020, que determina o toque de recolher (22h30 às 5h), assim como o fechamento dos estabelecimentos comerciais às 21h30, como medida temporária para prevenção dos riscos de disseminação do Coronavírus – Covid-19.

A operação é constante e recebe atenção especial, intensificando sua atuação durante os dias que antecedem o final de semana, assim como no próprio final de semana (quinta-feira, sexta-feira, sábado e domingo), onde todas as forças se reúnem para trabalho conjunto.

Nos últimos dias, a Guarda Civil registrou, com o apoio da população consciente, o quantitativo de, pelo menos, 110 ligações/denúncias relacionadas ao descumprimento dos decretos municipais. E, se mantém atuante na fiscalização e orientação dos comércios e áreas públicas que contém aglomerações ou pessoas que não utilizam a máscara facial.

O número de pessoas contaminadas tem subido a cada dia e, tanto Prefeitura quanto forças de segurança estão preocupados. A gestão alerta para que o comércio mantenham as medidas de segurança como distanciamento, disposição de álcool em gel e higienização dos ambientes cobrando, sempre, a utilização de máscaras faciais pelos clientes mas, principalmente, que a população se conscientize, que só saia de casa em casos de extrema necessidade, que idosos e crianças se resguardem. A atenção também deve ser quanto as festas particulares, que pode ser um grande disseminador do Covid-19.

A decisão do Poder Executivo é baseada na situação de pandemia que assola o país, bem como o aumento dos casos de pessoas contaminadas pelo Coronavírus em Sinop.

Até a noite de segunda-feira, 29, a cidade contabilizava 365 casos confirmados e 662 suspeitos da doença. 21 mortes são contabilizadas.


Amazonia 03 de Junho