A trilha que conduz o sistema de logística integrada em nosso país apresenta, em sua linha de chegada, competência e excelência. Mas é de conhecimento geral que os caminhos que compõem essa trilha são marcados por permanentes desafios. Dificuldades intermodais e carências estruturais estão entre os principais obstáculos que os operadores logísticos necessitam vencer cotidianamente para performar suas atividades de norte a sul do Brasil. Este quadro, agravado pela pandemia da Covid-19, tem recebido especial atenção das unidades do LIDE (Grupo de Líderes Empresariais) de Mato Grosso, Santos e Paraná. O grupo encabeça o projeto de discussões on-line que culminará na entrega, aos Estados e União, da Carta da Logística. Nesta sexta-feira (26), o terceiro episódio da websérie Logística Integrada foi dedicado a discutir um dos mais antigos gargalos nacionais: o armazenamento.

No que se refere à produção de grãos, o déficit de armazenamento no Brasil em 2020 reside na casa dos 100 milhões de toneladas, um cenário que preocupa e requer soluções urgentes. Neste contexto, empresas do ramo de armazéns têm buscado desenvolver serviços e produtos que atendam às necessidades do setor produtivo brasileiro, colaborando com a redução do índice de demandas reprimidas.

Na dianteira soluções customizadas, despontam os galpões estruturados temporários, criados para locação. “Nosso objetivo é disponibilizar ao cliente exatamente aquilo que ele necessita – nem mais, nem menos. Nossos galpões modulares temporários são apropriados para guardar os mais diversos tipos de produtos, possibilitando a otimização do uso de espaços e recursos financeiros”, explica o Diretor de Unidades de Negócios da Macrogalpões, Eduardo Gianini, um dos palestrantes do webinário voltado à armazenagem. A empresa, do Grupo Rentank, defende a adoção medidas operacionais que protejam o fluxo de caixa de seus clientes, resguardando, assim, a sustentabilidade financeira das organizações – preocupação já existente e potencializada em razão da pandemia da Covid-19.

Indagado pelo presidente o Lide MT, Evandro Santos, sobre a viabilidade do sistema de galpões temporários atender à cotonicultura, o representante da Macrogalpões afirmou que a tecnologia permite o armazenamento do algodão, sendo aplicados todos os cuidados decorrentes de suas especificidades. O Estado de Mato Grosso tem, conforme a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), 1,16 milhão de hectares plantados de algodão, com produção estimada superior aos 5 milhões de toneladas.

O projeto Logística Integrada – Debates e Soluções, conta com a curadoria da Losc Logística e Soluções Comerciais. No episódio desta sexta-feira (26), Rogério Ribeiro Arias, Diretor Comercial da empresa, discorreu sobre a importância de discutir o panorama brasileiro, observando que a logística interage e compreende diversos setores. “Estamos hoje abordando as necessidades quanto ao armazenamento – mas precisamos considerar, também, que importantes regiões produtoras estão descobertas não só neste aspecto, como também no que se refere à energia”, ponderou, dando como exemplo o município de Querência (MT). Localizada no nordeste do Estado, há quase mil quilômetros da Capital (Cuiabá), a cidade tem expressiva produção de soja, milho, arroz, atuando também na pecuária de corte e, até os dias atuais, necessita de suporte energético por meio de óleo diesel. Na avaliação de Arias, a iniciativa do grupo Lide consiste numa oportuna condição de monitorar as questões logísticas, lançando luz sobre o segmento que é responsável por movimentar grande parte da economia do país. “A convergência de objetivos é, cremos, o ponto alto deste importante projeto”, declarou.

Nos próximos dias entrarão na pauta de debates os temas ‘rodovias’ e ‘ferrovias’, concluindo a websérie Logística Integrada. “Em seguida, no mês de julho, realizaremos o Fórum, mas ele não é o ponto final das nossas ações. Vamos continuar trabalhando na mobilização em prol das soluções que a economia brasileira necessita, focados em buscar caminhos para que a iniciativa privada consiga superar os desafios agravados pela pandemia mundial”, disse Jarbas Vieira Marques, presidente do Lide Santos.

Logística integrada – Promovido pelo LIDE Mato Grosso, LIDE Santos e LIDE Paraná, o projeto “Logística Integrada – Debates e Soluções” terá como ponto alto a realização de um fórum, nos dias 15, 16 e 17 de julho, do qual sairá a Carta da Logística. O documento, contendo diagnóstico do segmento logístico na pandemia e propostas de soluções em curto e médio prazos, será encaminhado aos Estados e União. Para assistir aos episódios da websérie que compõe o projeto, basta acessar o canal do LIDE Paraná no YouTube. Os programas são apresentados por Heloísa Garret, presidente do Lide Paraná.


Amazonia 03 de Junho