Campanha digital vai ditar as eleições deste ano

0

Apesar de ainda faltar quase três meses para o início da campanha eleitoral e existir a possibilidade das eleições serem adiadas para novembro ou dezembro, dificilmente se verá o tradicional ‘corpo a corpo’ nas ruas da cidade, devido às precauções necessárias diante da pandemia do novo coronavírus. Este cenário impõe a necessidade de maior uso do marketing político digital, canalizado em redes sociais e influenciadores.

E o Partido Social Democrático (PSD), entendendo que a tendência para a divulgação das pré-campanhas é o uso das mídias digitais, já está se preparando para essa nova forma de se comunicar com os eleitores. Toda semana, o partido realiza reuniões virtuais com lideranças estaduais e militância com o objetivo de discutir política pública e fazer as orientações partidárias.

“Durante a nossa reunião virtual, a gente abre espaço para discutir sobre o que fazer nesse momento em que estamos em quarentena e precisamos manter o distanciamento social, porém, com o calendário eleitoral sem alterações e, com a proximidade das convenções, precisamos analisar todas as alternativas com muita clareza. Por isso, nos nossos encontros convidamos profissionais especializados para abordar temas relevantes nestes tempos”, afirma o secretário-geral do PSD Mato Grosso, Stephano do Carmo.

Esses encontros semanais são realizados por videoconferência com duração de três horas. As palestras de especialistas levam em torno de 30 minutos. Na última sexta-feira (19), por exemplo, o tema abordado foi “Campanhas Eleitorais e Pandemia”, proferida pelo mestre em Ciências Políticas, professor João Edisom, que abordou o uso das redes sociais como instrumento para facilitar a aproximação com o eleitorado durante a pandemia.

“Além de capacitar nossas lideranças, queremos traçar as ações para o próximo pleito. Também estamos discutindo assuntos estratégicos para o desenvolvimento econômico de Mato Grosso e dos municípios mato-grossenses, como logística, agronegócio, entre outras pautas”, explica o presidente do diretório regional do PSD, Carlos Fávaro.

A força da internet e redes sociais já mostraram resultado nas últimas disputas. “Se levar em consideração a eleição do Barack Obama há 12 anos, já foi fortemente baseada pela internet e as redes sociais passaram a ganhar espaço nos últimos anos. A própria eleição do Bolsonaro, no Brasil, e de Donald Trump, nos Estados Unidos, foram direcionadas por redes sociais”, analisa Stephano do Carmo.

Sem tempo a perder, a comunicação virtual é usada na elaboração de planos de governo e reuniões entre os partidários. Na última eleição já foram utilizados artifícios digitais, muito fortemente o Whatsapp. De estratégia de marketing digital para política, atualmente o caminho é descobrir quem são os centros de influência que podem ter força maior dentro de grupos.

“Nesta semana, o tema da reunião será “Contabilidade eleitoral e prestação de contas”, que também vai contar com profissionais especializados da área. Nesse momento, em que não podemos fazer política no dia a dia, junto aos eleitores, nós do PSD estamos nos reinventando e buscando alternativas para chegar à militância e ao eleitor”, conclui Stephano.


Amazonia 03 de Junho