Após metade do caminho rumo ao Fluminense, Tour do Fred começa o 3º dia com problemas na estrada

0

Assim como na terça-feira, o Tour do Fred começou após o almoço na tarde desta quarta-feira. Mas o início do terceiro dia reservou como surpresa um problema na estrada. Ao sair de Caxambu, no interior de Minas Gerais, rumo ao Rio de Janeiro, todos se depararam com um lamaçal que impediu de passarem os carros de apoio, onde estão um mecânico, um fisioterapeuta e um cinegrafista. Com isso, o centroavante do Fluminense terá que seguir de bicicleta por um longo percurso só com Jefferson Souza, seu preparador físico.

No vídeo, um dos integrantes de sua equipe de apoio diz que o lamaçal é uma barreira sanitária, que impedem a circulação intermunicipal em tempos de pandemia do coronavírus. Para evitar aglomeração na quarentena, todo o itinerário está sendo feito por um caminho alternativo e mais longo, conhecido como Estrada Real. Tratam-se de rotas de terra construídas para atividade minerária na época do Brasil-Colônia. Há trechos de trilha, travessia de rios e trilhos de trem.

Eles estão com máscaras e álcool em gel na bagagem, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde. Depois da primeira parada em São João del-Rei e a segunda em Caxambu, já foram percorridos 315 km dos 606 km até o CT Carlos Castilho, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Metade do caminho já foi, e a meta desta quarta é tentar bater os 200 km e já entrar no Estado do Rio.

Só no primeiro dia, o desafio bateu a meta de quatro mil cestas básicas em donativos, mas as doações continuam. O projeto tem parceria com o “Strava”, rede social do mundo especializada em atividades físicas, além da fabricante de bicicletas “Sense”, a rede de atacadista “Villefort”; a empresa de suplementos “Pro-X” e a de uniformes de ciclismo “Ert Uniformes”. Todos os valores de cachê serão doados para compra de cestas básicas para funcionários do clube e pessoas de comunidades carentes. Fred ainda prometeu distribuir uma cesta a mais a cada quilômetro percorrido.


Amazonia 03 de Junho