Cuiabá é destaque negativo no país com festas clandestinas durante pandemia

0

Reportagem exibida no Fantástico, da Rede Globo, no último domingo (31), mostra cuiabanos desrespeitando as regras de distanciamento social e isolamento na capital mato-grossense com festas clandestinas, que tem o potencial de auxiliar na disseminação do vírus na cidade, que já tem dez óbitos confirmados e 747 casos da Covid-19.

As festas, conforme a reportagem, são organizadas através de aplicativos de WhatsApp e também pelo Facebook. A premissa é sempre a mesma, “tudo no sigilo” para que as pessoas ou autoridades não descubram.

Nas imagens mostradas, um DJ (usando máscara) toca as músicas da festa, enquanto que várias pessoas sem nenhuma proteção dançam aglomeradas e fazem uso de bebida alcoólica. Alguns, inclusive, parecem ser adolescentes.

As festas clandestinas também contam com o uso compartilhado do narguilé, o que também pode contribuir para a disseminação do coronavírus. Vale ressaltar que, por força de decreto, está proibida a realização de eventos deste tipo.

Durante sua cobertura diária da pandemia, já havia relatado diversas festas clandestinas que ocorrem em Cuiabá e região. No fim de maio, a Guarda Municipal, em conjunto com a Polícia Militar, fechou um evento com mais de duas mil pessoas. A situação também é a mesma em outras cidades do Estado.

No último domingo, Cuiabá registrava dez mortes por conta da doença. No total, conforme a Secretaria de Estado de Saúde (SES), são 747 casos confirmados da Covid-19. No estado, os óbitos chegaram a 63 e o número de pessoas que testaram positivo para o coronavírus chegou a 2.485.

Dentre os 20 municípios com maior número de casos de Covid-19, estão: Cuiabá (747), Várzea Grande (231), Rondonópolis (204), Tangará da Serra (112), Primavera do Leste (108), Sorriso (86), Confresa (79), Lucas do Rio Verde (74), Barra do Garças (72), Sinop (54), Campo Verde (43), Rosário Oeste (42), Jaciara (38), Alta Floresta (37), Nova Mutum (32), Cáceres (31), Pontes e Lacerda (30), Peixoto de Azevedo (25), Aripuanã (25) e Sapezal (23).


Amazonia 03 de Junho