Bombeiros Militar alertam sobre riscos de queimas no período de estiagem em Lucas do Rio Verde

0
FOTO: BM/MT
;
;
;

O período de estiagem mal começou e os militares da 13ª Companhia de Bombeiros, com sede em Lucas do Rio Verde-MT já atendeu diversas ocorrências relacionadas a incêndio a vegetação (florestal) no município.

De acordo com dados divulgados pelo Tenente BM Gustavo Corrêa, de janeiro até a última semana de maio de 2020, foram registradas 22 ocorrências de incêndio a vegetação. Outras 23 ocorrências foram registradas em lixo e entulhos, o que é considerado também crime ambiental.

Em todo período de 2019 foram atendidas 161 ocorrências de incêndio em vegetação e 106 em lixo e entulhos.

“Já estamos nos preparando para o período de maior estiagem, onde aumentam as ocorrências de incêndios à vegetação. Nossos militares estão passando por curso de qualificação on-line, através do Batalhão de Emergência Ambiental, onde estão sendo passadas técnicas e conceitos para que os militares se preparem, não só fisicamente, mas também trabalhem com inteligência na hora de combater esse tipo de ocorrência”, afirmou o Comandante.

O período de junho a setembro é considerado pelo Corpo de Bombeiros como sendo o mais crítico do ano, em relação às queimadas. Além de proibidas, as queimadas poluem o ar podendo ser mais prejudicial nesse momento de pandemia pelo novo coronavírus, tendo em vista os problemas respiratórios causados pela fumaça.

“Não é atoa que o Governo do Estado coloca a partir do dia 15 de julho o período proibitivo de queimadas. Todos os anos é um assinado decreto para que se proíba o uso do fogo em qualquer tipo de vegetação, seja na área urbana ou rural. Sempre lembrando que na área urbana a proibição de queimadas é válida para o ano inteiro e é considerado crime ambienta”, afirmou.

Outra preocupação da 13ª Companhia de Bombeiros em Lucas do Rio Verde é em relação a incêndios em lavouras, principalmente no período de seca que coincide com a colheita do milho.

“Nesse aspecto a velocidade de propagação de incêndio em lavouras, no caso da nossa região mais comum em plantação de milho, é maior do que um incêndio em outras vegetações ao passo que a palhada do milho é um material altamente combustível. Nesse período o vento é também mais forte o que contribuí para a propagação mais rápida do fogo”, acrescentou o militar.

De acordo com os Bombeiros é sempre importante que os produtores rurais, ao proceder com a colheita do milho, mantenham caminhões pipas em tordo da área e maquinário que possam auxiliar no combate aos possíveis focos de incêndio, bem como preparar funcionários para atuar de maneira correta e segura nesse tipo de ocorrência.

AFOGAMENTOS

O período de estiagem também traz outra preocupação para os militares da 13ª CIABM em Lucas do Rio Verde-MT, que são as ocorrências de afogamento. Neste ano de 2020 ainda não foram registrados afogamentos.

Em 2019 foram 08 casos confirmados, sendo um caso em janeiro; um caso em julho; um caso em setembro e cinco somente em outubro. Todas as ocorrências no Rio Verde.


Amazonia 03 de Junho