Setor agropecuário tocantinense conta com ações de controle e uso correto de agrotóxicos

0
Adapec fiscaliza o comércio de agrotóxicos, transporte, armazenamento e o uso seguro e recomendado nas lavouras

O Governo do Tocantins por meio da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) atua de forma responsável na fiscalização do comércio de agrotóxicos, transporte, armazenamento, uso correto e seguro nas lavouras, bem como a devolução das embalagens vazias nas unidades de recebimento, contribuindo assim, com a produção tocantinense e a proteção da vida das pessoas que lidam com estes produtos.

De acordo com a Adapec, o controle de agrotóxicos no Estado, começa com o cadastro obrigatório junto a Agência, destes produtos que são usados na agropecuária. A partir daí, toda a cadeia é fiscalizada, desde os estabelecimentos comerciais agrícolas, condições de segurança do armazenamento até a destinação final das embalagens vazias nos postos ou centrais de recebimento. “Vale destacar que esta fiscalização acontece também nas propriedades, onde os produtores são orientados sobre armazenamento, importância da tríplice lavagem e destinação final correta das embalagens vazias,” ressalta o diretor de defesa, inspeção e sanidade vegetal, Alex Sandro Farias.

Um importante projeto que vem ganhando cada vez mais notoriedade no Tocantins, no controle e uso correto de agrotóxicos, é o Recebimento Itinerante (RI) de embalagens vazias de agrotóxicos, voltado a atender os pequenos produtores rurais que estão distantes dos postos e centrais de entrega das embalagens. Em 2019 o projeto foi realizado em 17 municípios tocantinenses, beneficiando diretamente mais de 600 pequenos produtores rurais, com um volume de aproximadamente 25 mil embalagens devolvidas. Esta ação conta com a parceria do Governo do Tocantins, por meio da Adapec, do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev), das centrais de recebimento de embalagens vazias de agrotóxicos do Tocantins e prefeituras municipais.

“Trabalhamos com responsabilidade na fiscalização dos agrotóxicos no setor agropecuário do Tocantins, orientando sempre por meio de palestras os produtores rurais e as pessoas envolvidas sobre o uso correto e seguro destes produtos, além disso, ofertamos aos pequenos produtores rurais junto com os nossos parceiros, condições para que devolvam suas embalagens no projeto de RI, isso tem surtido efeitos positivos para o Estado,” disse o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha.

Cuidados sobre agrotóxicos

A Adapec orienta os produtores rurais a só adquirirem produtos agrotóxicos devidamente registrados e licenciados nos órgãos de controle, mediante a receita agronômica emitida por profissional legalmente habilitado.

Utilizar sempre o equipamento de proteção individual, que é obrigatório e tem a finalidade de proteger o trabalhador no manuseio de agrotóxico. O equipamento, de uso individual, é formado por máscara protetora, óculos, macacão, avental e luvas impermeáveis, protetor para a cabeça, botas de borracha, camisa de mangas compridas e calças.

Além disso, é fundamental ler as instruções na bula do produto; lavar todo material usado para misturar e aplicar os agrotóxicos; fazer a revisão no equipamento observando se está em perfeita condição de uso; preparar a calda na quantidade certa, longe de casas e cursos de água; não fumar, não beber e nem comer durante o preparo da calda e aplicação; nunca aplicar o produto contra o vento; fazer a tríplice lavagem após a aplicação; lavar os equipamentos de aplicação longe das casas, rios, represas etc; lavar os EPIs e as roupas separadamente das outras e deixá-las secar ao ar livre, e tomar banho com água fria e sabão para retirar qualquer resíduo do agrotóxico.

É fundamental que o aplicador seja treinado para realizar a operação com segurança e em caso de acidentes: Lavar a parte do corpo atingida com bastante água e sabão neutro (os olhos, somente com água); afastar o acidentado da fonte de contaminação (roupas e local); providenciar, imediatamente, atendimento médico levando rótulo ou bula do agrotóxico; não provocar vômito.


Amazonia 03 de Junho