Raulzinho pede cautela na retomada da NBA e teme pouco treino: “Medo de voltar a jogar”

0

O armador brasileiro Raulzinho, do Philadelphia 76ers, afirmou em uma live nesta segunda-feira que “está com medo de voltar a jogar” na NBA devido à falta de treinamento em meio à pandemia do novo coronavírus. Além dele, participaram do bate-papo a vice-campeã olímpica Magic Paula, Anderson Varejão e o narrador Everaldo Marques e o comentarista Marcelinho Machado, dos canais SporTV.

– Para falar a verdade, eu até eu estou com medo de voltar a jogar. Será que eu vou voltar e estou fora de forma? Já que há outros jogadores que estão treinando. Desde os 16 anos eu nunca fiquei mais de duas semanas sem pegar na bola de basquete. E estou há dois meses sem treino, sem jogar um 2×2 ou 3×3. E fica um pouco desse medo, é difícil, fica uma dúvida na nossa cabeça – afirmou o jogador, que nesta terça-feira completará 28 anos.

Raulzinho está isolado em Utah – estado onde fica a primeira equipe que defendeu na NBA, o Utah Jazz. Ele tem dividido a quarentena com a namorada, e arrumado um jeito curioso para fazer seus treinamentos. Um bispo, tio de sua companheira, tem liberado a quadra de uma igreja mórmon onde ele tem feito algumas atividades.

– Eu até tenho acesso a uma quadra em uma igreja. Pego a chave com o bispo, bato minha bola, não tenho contato com ninguém. [Os dirigentes do 76ers] me disseram que nem preciso voltar. me aconselharam a não voltar. Estou tentando me manter em forma, fazer exercícios em casa. Tento meditar que estou na quadra de basquete. Porque acaba perdendo o ritmo. As primeiras semanas foram um pouco difíceis, mas agora tenho uma rotina que me mantém mais saudável mental e fisicamente – disse o armador.

Apesar de se manter em atividade, Raulzinho tem se ressentindo da falta de treinamentos de maior intensidade e confronto com outros jogadores.

– Estou em Utah. Aqui, o pessoal está começando a relaxar um pouco. Já tem restaurantes abertos, academias, fico até um pouco nervoso ao sair. Tento falar com meus pais que estão no Brasil. Nesse momento, damos valor a muitas coisas que normalmente que passam despercebidos no dia a dia – observou o brasileiro.

A NBA já permitiu que as equipes, mediante autorização dos governadores locais, reabram seus centros de treinamento e admitam atletas para atividades. Não é o caso, porém, dos 76ers. Diante da movimentação para retorno e expectativa de uma decisão em relação à continuidade da temporada, interrompida desde a metade de março, Raulzinho afirmou que prefere ter uma segurança maior.

– Tem atletas que não querem voltar a jogar. Outros que já falaram publicamente que querem, como LeBron [James] e Chris Paul. Mas a maioria está desconfortável de voltar agora, sem remédio, sem vacina. O pensamento geral é esse, e é meu pensamento também – comentou.

A NBA vem estudando possibilidades de cenários que proporcionem certo isolamento natural. Uma delas é o complexo do Walt Disney World em Orlando, na Flórida, que facilitaria o fechamento do público.


Amazonia 03 de Junho