Mais de 16 milhões de brasileiros sofrem com ansiedade, afirma pesquisa

0

O Brasil é o país mais ansioso em todo mundo: um a cada 11 habitantes possui a doença, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Hoje, o país contabiliza 16,8 milhões de pessoas que sofrem com a ansiedade.

A depressão, por sua vez, em estatísticas anteriores à pandemia, será a maior causa de incapacitação no mundo até o final de 2030. Um dos principais sinais dos transtornos mentais é o isolamento social; diante do cenário causado pelo covid-19 – no qual somos obrigados a ficar em estado de confinamento –, essa condição necessária ao momento pode potencializar os transtornos de ansiedade e depressão. Para entender o impacto do distanciamento social na saúde da mente, o Instituto Bem do Estar e a NOZ conduzem uma pesquisa online até 31 de maio.

Segundo Isabel Marçal, cofundadora do Instituto Bem do Estar e uma das coordenadoras da pesquisa, em um cenário de incertezas, medo e alteração substancial da rotina diária, estamos sendo submetidos a uma dose extra de estresse e ansiedade. “Nesse contexto, precisamos falar mais sobre saúde da mente a partir de dados qualificados. Para isso, estamos conduzindo essa pesquisa em parceria com a NOZ”, afirma, acrescentando que como forma de agradecimento pela contribuição, os participantes receberão um guia prático, no formato e-book, para o cuidado com a saúde da mente.

Na visão de Juliana Vanin, fundadora da NOZ Pesquisa e Inteligência, o levantamento tem um fim social claro, sem retorno financeiro para nenhuma empresa e com participação voluntária. “Essa isenção é essencial para conseguirmos traçar um cenário próximo da realidade e entendermos como as diferentes realidades afetam o comportamento e a saúde mental dos brasileiros. Por exemplo, parece evidente que o impacto do trabalho home-office, redução ou suspensão salarial é maior para pais e mães com filhos em idade escolar. O que queremos entender é como essas situações afetam, também, a saúde mental dessas famílias, tendo consequência não só durante a pandemia, mas também no longo prazo para nossa sociedade”, afirma Juliana.

Para participar da pesquisa e acessar o e-book, basta acessar o site www.noz-pesquisaeinteligencia.com/bemdoestar

INSTITUTO BEM DO ESTAR | Fundado em 2018 por Isabel Marçal e Milena Fanucchi, o Instituto Bem do Estar é um negócio social sem fins lucrativos voltado à promoção da saúde da mente. Com o propósito de desafiar as pessoas a mudar o próprio comportamento em relação à saúde da mente, a organização colabora com a prevenção de doenças psicológicas e contribui para uma sociedade mais consciente e saudável. Para tal, possui três objetivos, que visam a transformação social necessária a uma sociedade que está em falência emocional: CONSCIENTIZAR, informa a população sobre os cuidados para uma saúde da mente de qualidade, estimulando a busca pelo autoconhecimento e o despertar da empatia por meio de conteúdo digital, campanhas de conscientização e mostras e exposições culturais; CONECTAR, promove experiências do cuidado com a mente, proporcionando ferramentas que contribuem com o desenvolvimento socioemocional individual e coletivo por meio de atividades práticas, como vivências, workshops e palestras, além da divulgação de locais de atendimento terapêutico gratuitos ou por contribuição consciente; MOBILIZAR, entende o contexto sobre saúde da mente e o impacto na sociedade, gerando estatísticas e articular agentes públicos e privados, visando o acesso a políticas públicas via pesquisas e práticas de advocacy.  www.bemdoestar.org

NOZ PESQUISA E INTELIGÊNCIA | NOZ é um ateliê de pesquisa e inteligência de negócios, cujo trabalho é entender desejos e comportamentos humanos. A empresa atua em todo o ciclo de negócio, unindo conhecimentos e metodologias de Economia Comportamental, Pesquisa, Planejamento Estratégico, Financeiro e de Marketing. Além de consultoria e projetos para empresas, a NOZ foca o seu trabalho em estudos sociais sobre diversos temas, como Cooperação, Educação, Trabalho e Empreendedorismo, Maturidade (50+), Doação, Mulheres e o Mercado de Trabalho. Fundada em 2015 por Juliana Vanin –economista formada pela Universidade de São Paulo (USP); pós-graduada em Finanças pelo Insper; especialista em Pesquisa de Mercado, Inteligência de Negócios, Planejamento Financeiro e Estratégico – a empresa produz informação e conhecimento, acreditando que estas têm o poder de transformar. Tem como objetivo impulsionar o debate, a troca de experiências e a escuta de novas visões e percepções. www.noz-pesquisaeinteligencia.com/a


Amazonia 03 de Junho