Profissionais da linha de frente do combate ao novo coronavírus no Rio denunciam que estão sem salários

0

Cerca de 400 profissionais que atuam na área de saúde não receberam o salário este mês ou só tiveram uma parte depositada na conta. São trabalhadores que tão na linha de frente no combate ao novo coronavírus.

O problema atinge funcionários da Rio Saúde, empresa pública que administra unidades da prefeitura e também aqueles que são terceirizados, por meio de organizações sociais.

“Não caiu nada ainda neste mês. Pra ninguém: saúde, limpeza, portaria, segurança, pra ninguém até agora”, disse um funcionário ao RJ2, que preferiu não se identificar. “Recebemos uma parte do que trabalhamos do dia 23 até o dia 31 [de março]. Este mês passado, nós não recebemos nem pagamento nem vale-alimentação, entendeu? Então, a gente tá com medo disso se prolongar”, disse outra funcionária.

Em uma mensagem divulgada em um rede social, outro funcionário desabafou: “Estou muito indignado. Fui vítima de uma fraude pela Rio Saúde. Me dediquei, me expus, trabalhei fora do meu horário fazendo horas extras para não deixar os pacientes sem assistência porque faltam muitos médicos, pra que ? Me roubaram”.

Muitos dos trabalhadores afirmam que estão sem dinheiro pra ir pro trabalho e isso compromete ainda mais a escala, que já anda apertada.

Num grupo de mensagens, uma funcionária pede ajuda aos colegas. “Gastei o que eu tinha e o que não tinha também, com 5 pessoas da família com a doença ao mesmo tempo. E agora, quando contava de pagar a quem me emprestou dinheiro, porque os gastos foram muitos, o salário não cai na conta. Acho revoltante e humilhante praticamente implorar pra que nos paguem”.

“Eu penso já em pedir demissão porque é muito complicado. A gente já sofre com falta de EPI, com falta de estrutura, falta de respeito da própria gerência, sofre assédio moral. Com tudo isso, agora “somatizado” à falta de pagamento, aí já se torna um absurdo. Se torna inviável continuar na Rio Saúde, no hospital municipal Ronaldo Gazolla”, disse um funcionário que trabalha no hospital de referência para a Covid-19 no Rio.

A Rio Saúde pediu desculpas pela falha e disse que na segunda-feira os salários de parte dos funcionários serão pagos. Disse também que já corrigiu a diferença nos salários de quase 800 funcionários.

A Rio Saúde afirma também que vai quitar os valores até o dia 15 de maio. Sobre outras unidades, a Secretaria Municipal de Saúde disse que o pagamento pra O.S. Cruz Vermelha está agendado pra terça-feira.


Amazonia 03 de Junho