Mãe que contraiu coronavírus no final da gestação faz parto às pressas e bebê não é contaminado

0

Esse Dia das Mães vai ser o primeiro da escriturária hospitalar Renata Travagin Santanna dos Santos como mãe de Lorenzo. O bebê teve de nascer às pressas antes do final da gestação porque ela contraiu Covid-19.

Renata fez um exame em novembro do ano passado e descobriu que estava grávida, segundo a filha dela, Gabrielly Travagin Santanna dos Santos, de 9 anos. “Deu vontade de sair pela rua e gritar: eu vou ter um irmãozinho, que legal!”, conta ela.

No dia 26 de novembro, Renata foi trabalhar e teve um sangramento grande. Foi ao Pronto-socorro do hospital que trabalha e um exame revelou que ela estava com descolamento de placenta. Ela foi afastada para ficar em repouso e depois de 15 dias de volta ao trabalho, foi contaminada por Covid-19.

“Senti dor no corpo, febre e dor de cabeça. No dia seguinte, 15 de abril, comecei a falar de ar e cansaço respiratório e falta de ar”, relembra Renata, que foi internada.

Na semi-intensiva, Renata começou a piorar. Os médicos disseram que ela faria uma tomo e disseram que fariam o parto para salvar ela e o bebê.

“Meu maior medo era ser intubada, aí entrei em desespero, Estava sozinha, meu esposo não estava comigo, não tinha ninguém da minha família comigo. Fiquei com bastante medo e chorei bastante”, conta Renata.

Lorenzo nasceu e o exame dele para Covid-19 deu negativo. “Não ouvi o choro dele, não peguei ele no colo, não conheci ele, não pude pegar ele no colo”, relembra.

Renata só conheceu Lorenzo 15 dias depois.

“Foi mágico. Para mim ele estava nascendo ali naquele momento. Ele é lindo e está sendo muito bem cuidado. Acho que tem um período para gente enfrentar, ele se recuperar para poder ficar bem e vir para casa. O Dia das Mães vai ser bom porque sou mãe, mas é um misto de sentimentos, de alegria e de falta, porque eu queria que o Lorenzo estivesse em casa (…). É Dia das Mães, isso ninguém tira de mim.”

O Lorenzo segue no hospital até ganhar peso e Renata conseguiu vencer a doença sem contaminar o filho.


Amazonia 03 de Junho