AM fechou 2019 entre os cinco estados com menos médicos, enfermeiros e leitos de UTI, aponta levantamento

0
Foto: Divulgação/Secom

O Amazonas ocupava o quinto lugar do país, em 2019, entre os Estados com os menores números de médicos e enfermeiros para cada 100 mil habitantes. De acordo com o levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apenas em Manaus eram 3.655 médicos, sendo 2.959 do SUS. O número representa 167 médicos para cada 100 mil habitantes, ou 136 médicos do SUS para cada 100 mil habitantes.

Ainda segundo o levantamento, no ano passado, o Amazonas possuía sete leitos de UTI para cada 100 mil habitantes, e era o quarto menor índice entre os Estados e Distrito Federal. Hoje, mesmo com a pandemia, não há leito de UTI disponível para a população do interior do estado e quase 90% dos municípios já possuem casos de infectados.

O levantamento foi feito com base nos números de 2019, e divulgado nesta quinta-feira (7), pelo IBGE. As informações foram obtidas pelo Instituto com a colaboração do MonitoraCovid-19 da Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ./ICICT1.

Atualmente, em meio à pandemia do novo coronavírus, o governo chegou a aumentar a estrutura e o número de leitos nos quatro hospitais do estado que atendem pacientes com Covid-19. No entanto, a taxa de ocupação desses leitos oscila em torno dos 90%, com quase seis mil casos da doença registrados somente em Manaus. No estado, são mais de 10 mil casos confirmados.


Os dados apontam ainda que, no ano passado, havia 20 respiradores para cada 100 mil habitantes, colocando o Estado em 9º lugar no ranking dos piores índices.


--Continua depois da publicidade ©--

Embora o Amazonas esteja adquirindo respiradores e recebendo outros como apoio e doações, médicos relatam que não há respiradores para atender a todos os pacientes e que muitas vezes são obrigados a escolher quem vai ter acesso ao equipamento.

Nesta quinta (7), a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) abriu 16 vagas em Chamamento Público Emergencial para Contratação Temporária de profissionais de saúde, com objetivo de atender as necessidades do combate à Covid-19.

Outros 581 profissionais, segundo o Ministério da Saúde, estavam previstos para chegar a Manaus no último domingo (3) para reforçar o atendimento a pacientes com Covid-19 no Amazonas.


Para ler mais notícias sobre o Mato Grosso, clique Aqui. Siga também o CenárioMT no Twitter e no Facebook.