Prefeitura de Cuiabá implanta ação emergencial para evitar aglomerações nas unidades bancárias

Plano contará com a interdição de vias e irá disponibilizar toldos e cadeiras à população

0

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro finalizou, na manhã desta terça-feira (5), no Palácio Alencastro, juntamente com o superintendente da Caixa Econômica Federal em Mato Grosso, José Antônio da Silva, um Plano de Ação para atendimento para evitar tumultos em frente às unidades  bancárias, que realizam o pagamento do auxílio emergencial do governo federal, no valor de R$600 em razão da pandemia do novo Coronavírus.

Em virtude dessa situação, a Prefeitura de Cuiabá irá auxiliar o atendimento ao público com cadeiras, toldos, distribuição de água. Para garantir a organização  e  o distanciamento necessário para evitar à disseminação do novo coronavírus, a Prefeitura também irá realizar a interdição de vias (em horários delimitados) para acomodação das pessoas. Já a Caixa vai manter o atendimento interno e externo, além de cumprir as medidas relativas à biossegurança.

Em Cuiabá, das nove agências da Caixa que estão fazendo o pagamento do auxílio emergencial, três delas são consideradas  mais críticas e por conta disso, terão prioridade nessa semana. São elas: agência Avenida Barão de Melgaço (Bom Jesus de Cuiabá) Centro Norte; agência Morada do Ouro – na Avenida Brasil, e a agência do Coxipó, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, bairro Jardim Petrópolis. “Vamos começar nessa semana e garantir essa logística”.

Nas demais, o plano de ação começa na próxima semana, são elas; agência na Rua 13 de Junho – Centro Sul; Historiador Rubens de Mendonça – bairro Araés (Ao lado do Procon); Avenida Edgar Vieira, bairro Boa Esperança (anexo UFMT) ; Avenida José Monteiro de Figueiredo, bairro Duque de Caxias, Historiador Rubens de Mendonça, bairro Jardim aclimação (ao lado da Kadri)

As Secretaria municipais de Mobilidade Urbana e de Ordem Pública prepararam o Plano de Ação consiste em organizar as filas – mantendo a distância de 1,5 metros -; implantação de tendas para maior comodidade dos usuários; interdição de vias a fim de priorizar a logística para os usuários.

“Todas as cidades de médio e grande porte estão passando por isso, mas Cuiabá tem que fazer a diferença, estou preocupado com à população cuiabana e não posso aceitar, como prefeito, essa situação como normal. Por isso, vamos interditar algumas ruas e vias, adotar o uso de tendas e cadeiras e garantir o melhor atendimento possível”, disse o prefeito Emanuel Pinheiro.

A Caixa Econômica ficará na responsabilidade de manter o atendimento interno e externo, orientando e esclarecendo, distribuindo senhas, adentrando os clientes para a agência e além de cumprir as medidas dos decretos municipais de higienização, uso obrigatório de máscaras para os clientes e servidores além da desinfecção dos equipamentos eletrônicos e tudo aquilo que os decretos determinam nesse período de combate ao novo coronavirus.

“Estamos atendendo uma recomendação do Ministério Público Federal através do Procurador-Chefe do Ministério Público Federal, Gustavo Nogami e também do Ministério Público Estadual, através do Procurador-Geral de Justiça, José Antônio Borges, que estamos aqui principalmente fazendo nosso dever em bem tratar a população cuiabana. Dessa forma, determinamos a formulação de uma Plano de Ação para os bancos. Nas próximas semanas, em que cerca de 150 mil cuiabanos receberão o auxílio garantiremos um atendimento mais digno, com distanciamento controlado até voltarmos a normalidade”, concluiu o prefeito.

Na semana passada, a fiscalização autuou uma agência bancária que manteve mais de 700 pessoas aglomeradas em frente a uma unidade instalada na rua Barão de Melgaço.  A partir das notificações e autuações lavradas pelos fiscais da Prefeitura aos bancos, as instituições podem sofrer restrições, além de pagar multas, que poderão ser diárias. O trabalho da fiscalização foi intensificado e durante toda a semana a Sorp continuará acompanhando o funcionamento dos bancos, bem como, todos os estabelecimentos comerciais.

No decreto n° 7892/2020, o prefeito pontua  que todos os estabelecimentos descritos devem dar total publicidade das regras e recomendações de biossegurança, com enfoque principal à necessidade de manter distanciamento entre as pessoas, por meio de cartazes ou painéis explicativos que devem estar bem visíveis e distribuídos nas áreas de operação das respectivas atividades.

Também estiveram presentes na reunião o secretário de Mobilidade Urbana, Antenor Figueiredo; de Fazenda, Antônio Roberto Possas de Carvalho; e o secretário adjunto de Fiscalização, Benedito Alfredo Granja.


Amazonia 03 de Junho