Secretário de educação básica do MEC pede demissão

Janio Macedo era um dos poucos quadros atuais do MEC que recebia o apoio do setor educacional

0
Janio Macedo era secretário de Educação Básica (SEB) Foto: José Cruz / Agência Brasil

O secretário da Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Janio Macedo, pediu demissão do cargo devido aos desgastes provocados na pasta que é comandada pelo ministro Abraham Weintraub. O pedido ainda será oficializado, porém Macedo já avisou hoje, 9, pela manhã, aos seus interlocutores que não é mais titular do cargo, cuja responsabilidade de políticas federais se estende da creche até o Ensino Médio.

O desgaste se intensificou nos últimos dois meses com o ministro. Além disso é apontado uma falta de autonomia devido ao posicionamento ideológico de Weintraub em grande parte das decisões.

Macedo pretendia construir iniciativas por meio de consenso com os secretários de educação, assim como apoiar à implementação da Base Nacional Comum Curricular em conjunto com as redes, mas o tema foi desprezado pelo ministro por causa de ideologias. Weintraub não possui boas relações fora do âmbito ideológico.

Antes da experiência no MEC, Macedo ocupou cargos executivos na área de economia e foi também secretário adjunto de Gestão e Desempenho de Pessoal, cargo ligado à Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital.


Com a sua saída, houve uma segunda baixa registrada no alto escalão do ministério. Antes quem saiu foi Arnaldo Lima, que integrou a Secretaria de Educação Superior que se demitiu no fim de janeiro deste ano devido a desentendimentos com o ministro.


--Continua depois da publicidade ©--

Weintraub está à frente do MEC há um ano, e desde que chegou realizou várias trocas em grande parte dos órgãos importantes ligados a sua pasta, assim como alterações na direção do INEP, Capes e FNDE.

Um dos mais recentes atritos provocados com os secretários foi após insinuar que teria acordado com eles a possibilidade de distribuição de alimentos para merenda nas escolas para os alunos pobres durante a pandemia do coronavirus.



--PATROCINADO--