Menos da metade dos municípios de MT tem leitos de UTI com respiradores para tratamento de pacientes com Covid-19

Entre as cidades que possuem os aparelhos, o número de respiradores disponíveis é abaixo de 10 para cada 100 mil habitantes.

0

Menos da metade dos municípios de Mato Grosso tem leitos de UTI com respiradores para tratamento de pacientes com Covid-19. O levantamento é de um estudo feito pelo Departamento de Geografia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

De acordo com a pesquisa, dos 141 municípios, apenas 66 possuem leitos de UTI com ventiladores mecânicos. Nessas cidades, ao todo, estão disponíveis 1.318 equipamentos. Deles, 919 estão à disposição do Sistema Único de Saúde (SUS) e 399 na rede particular.

Entre os 66 municípios com presença desse equipamento, Cuiabá concentra um total de 727 unidades, seguido por Cáceres (94), Rondonópolis com (92), Tangará da Serra (75), Várzea Grande (73), Sinop (51), Sorriso (38), Lucas do Rio Verde (31), Primavera do Leste (25), Juína (19), Colíder (18), Alta Floresta (15), Barra do Graças (14), e Sapezal (10) e Guarantã do Norte (9).

Os outros 51 municípios juntos concentram 27 equipamentos em sua tutela.

O levantamento mostra também que, em algumas dessas cidade, o número de respiradores disponíveis é abaixo de 10 para cada 100 mil habitantes. Entre elas estão Alta Floresta, com nove equipamentos para cada 100 mil habitantes, Água Boa com seis, Diamantino com quatro e Porto Alegre do Norte, com três.

Foto: UFMT

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), equipes trabalham na construção emergencial de 198 leitos clínicos e 100 novos leitos de UTI para o atendimento dos pacientes com coronavírus em todo o estado.

Nesses casos, há a previsão de um respirador para cada leito de terapia intensiva. Além disso, foram adquiridos 100 ventiladores mecânicos da China. O material deve chegar a partir da segunda quinzena de abril. A SES vem adquirindo esses itens extras por meio de compra emergencial, conforme autoriza o decreto estadual de calamidade pública.

Segundo a SES, a distribuição dos aparelhos adquiridos será feita aos Hospitais Estaduais de referência para o tratamento à Covid-19.

Atualmente, a secretaria trabalha a com 16 regionais de atendimentos, para viabilizar a concentração e empenho de recursos na atuação de serviços médico-hospitalares.

O panorama de distribuição de ventiladores mecânicos por regional conflita com a disposição de habitantes residentes nela. A porcentagem de equipamentos por pessoa nesses locais é na média 1,5%, sendo que, nas regionais de maior concentração humana esse valor é bem menor, ou, como é o caso da Regional de São Félix do Araguaia, é zerado.


Amazonia 03 de Junho