Estudo aponta que não é possível identificar a origem da transmissão de 42% dos casos de Covid-19 em Cuiabá

0
Foto: Reprodução

Um levantamento do Departamento de Geografia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) aponta que em 42% dos casos de Covid-19 em moradores de Cuiabá não têm como identificar a origem da transmissão do vírus.

Segundo a pesquisa, a constatação reforça a necessidade do distanciamento social neste momento.


-Continua depois da publicidade ©-

“A circulação de pessoas pela cidade certamente ocasionará o aumento do número de casos de Covid-19, pressionando o sistema de saúde, que normalmente já é utilizado em seu limite”, diz trecho do estudo.

De acordo com o levantamento, até o dia 4 de abril tinham registrados 37 casos de Covid-19 na capital. Destes, quatro casos foram notificados na capital, mas são de pessoas de outros lugares, que ficaram doentes e foram atendidos enquanto circulavam pela cidade.


Os 33 casos de pessoas que residem na capital estão distribuídos em 22 bairros. Destes, dez casos são de pessoas que realizaram viagens para outros estados brasileiros ou para o exterior, mas não sabem informar se estiveram com alguém que tenha sido infectado.


--Continua depois da publicidade ©--

Já em 19 casos, foi possível identificar a sua origem, ou seja, por quem foi transmitido o vírus.

Há ainda quatro casos em que a pessoa não viajou recentemente e também não sabe informar onde possa ter sido infectado.

São pessoas em idade laboral, que podem ter tido contato com o vírus em qualquer lugar da cidade onde tenha estado, já que os mesmos não estiveram fora de Cuiabá recentemente.



--PATROCINADO--