Pesquisa mostra que 94% dos jovens acreditam que grupos de whatsapp contribuem para fake news

Rede social Quinto fez um estudo completo sobre como os jovens veem notícias falsas

0

Em tempos de temor por conta da pandemia de coronavírus, a desinformação pode ser uma das piores inimigas da população. Não existe vacina com eficácia comprovada, o vírus não morre a 26°C, banho frio ou chá quente não combatem a Covid-19 e não há risco de se comprar produtos chineses “infectados” com o coronavírus. Ou seja, se você acreditou em alguma dessas histórias, você caiu em fake news.

A rede social de opinião e debate QUINTO quis saber do seu público mais fiel, os jovens, o que pensam sobre fake news. É possível observar que a maioria dos usuários entre 12 a 24 anos consideram que os aplicativos de mensagem representam um grande perigo no que se refere à disseminação de conteúdo falso.

O WhatsApp é o maior aplicativo de mensagens do mundo. Ele atingiu, no início de 2020, a marca de 2 bilhões de usuários e hoje em dia é difícil encontrar quem não seja adepto da plataforma. A conversa em grupo seja da família, trabalho, amigos ou da academia, costumam ser movimentadas, com muito assunto.

Para nada menos que 94% dos jovens que votam no Quinto, os grupos de WhatsApp contribuem sim para a propagação de notícias falsas. A crença nesse perigo é maior entre as mulheres: 96%. Enquanto os homens totalizam 91%. A preocupação é tão grande que o próprio WhatsApp lançou um site para combater as fake news que envolvem o novo coronavírus.

Outro dado obtido é que 84% dos jovens ouvidos checam as notícias antes de repassar no app de mensagens.  O resultado está pautado na opinião de mais de 1.500 pessoas e se mostra bastante homogêneo, já que há pouca variação entre os sexos e as faixas etárias (de 12 a 17 e de 18 a 24 anos).

Denunciar 

Tanto o WhatsApp quanto o Facebook possuem ferramentas que permitem que fake news sejam devidamente denunciadas. Entre os quase 10 mil jovens que votaram à pergunta “Você denuncia fake news?” no Quinto, 52% sinalizaram positivamente. E aqui, a diferença se mostrou considerável nessa prática entre os dois sexos. As mulheres mostram maior engajamento na iniciativa de identificar e denunciar a propagação de notícias falsas: 55% responderam ter esse costume. Já entre os homens o índice é bem mais baixo: apenas 47%.

Sobre o Quinto  – O Quinto é uma rede gratuita criada para representar a opinião coletiva da sociedade por meio de votações e debates. Uma ferramenta de democracia, dentro de um ambiente seguro e saudável, para discussões que tem como valor principal o respeito. Através de perguntas divididas em 14 categorias, os usuários respondem “sim” ou não”, deixam comentários e podem se conectar com outras pessoas. O aplicativo está disponível para Android e IOS. Para baixá-lo, basta entrar na loja do seu celular e procurar a versão mais recente. www.oquinto.org ou @appquinto.


Amazonia 03 de Junho