Em três horas, Lucas do Rio Verde registra chuva que deveria cair em 10 dias

População sofre com falta de obras de drenagem no perímetro urbano da BR-163; Quem precisa se deslocar de um ponto para outro da cidade, fica praticamente isolado no entroncamento da rodovia com as Avenidas Goiás e Vitória Régia

0
FOTO: Divulgação WhatsApp
FOTO: Divulgação WhatsApp
;
;

 

As chuvas que iniciaram nas primeiras horas em Lucas do Rio Verde, na manhã dessa sexta-feira (28) estavam previstas para cair ao longo de 10 dias.

De acordo com o Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Marcio Albieri, em apenas três horas, choveu o equivalente a pelo menos 110 litros de água por metro quadrado, em alguns pontos da cidade.

Em diversos bairros, por pouco a água não invadiu residências.

Um dos pontos mais críticos foi no entroncamento da BR-163 com as Avenidas Goiás e Vitória Régia.

O trânsito no local ficou caótico e os usuários que precisavam deslocar de um lado para outro da cidade, necessitaram de muita paciência.

O local, onde está localizada a estátua do ‘Luquinha’, símbolo do agronegócio luverdense, sofre constantemente com as fortes chuvas, devido à falta de obras estruturantes por parte da Rota Oeste, tendo em vista que o perímetro da rodovia federal é de sua responsabilidade.

Essa questão, inclusive, foi levantada pelo prefeito Flori Luiz Binotti, durante reunião na noite dessa quinta-feira (27) do movimento ‘Pelas Vidas na BR-163’, que cobra a imediata duplicação para evitar que vidas sejam ceifadas em graves acidentes.

De acordo com prefeito, Lucas do Rio Verde é o único município no eixo da rodovia federal, que não recebeu obras de melhorias no perímetro urbano como: duplicação, construção de viadutos ou passarelas e obras de drenagem para as águas das chuvas.

Movimento ‘Pelas Vidas na BR-163’ elabora Carta Aberta que deverá ser emitida para o Governo Federal