Voluntários estampam mensagens e distribuem panfletos no Portão do Inferno em MT contra o suicídio

0
Foto: Clichês na Rua/ Divulgação

Voluntários do Centro de Valorização da Vida (CVV) e dos grupos Clichês na Rua e Jovens com uma Missão (Jocum) fizeram uma ação de conscientização no Portão do Inferno na Chapada dos Guimarães, a 65 km da capital, no sábado (25).

No ponto turístico são comuns casos de suicídio. Neste mês o local já recebeu três ações sociais.

O cartão-postal já recebeu duas ações com o objetivo de prevenir o suicídio. Recentemente, foram colocadas faixas com mensagens.

No sábado, os voluntários entregaram panfletos com mensagens motivacionais e cartilhas contendo contatos do CVV e estamparam frases de motivação pessoal na calçada, onde fica a mureta de proteção do precipício.

Segundo Talissa Briante, do Clichês na Rua, a ação foi realizada com autorização da Prefeitura de Chapada dos Guimarães. Ela ainda sugeriu que o nome do precipício poderia ser mudado e se chamar ‘Portão da Vida’. O movimento feito pelos voluntários durou toda a manhã de sábado.

“Acreditamos que a arte deixadas ali podem salvar vidas. O grupo Clichês acredita que uma frase pode mudar vidas. Nós já recebemos ligações de pessoas que disseram que por causa de uma frase deixaram de cometer um ato contra a própria vida. Um dos nossos desejos é que o local mudasse de nome”, declarou Talissa.

Os voluntários também usavam com camisetas contendo mensagens motivacionais.

A arte usada pelos grupos foi a stencil, uma técnica utilizada para gravar mensagens em um local ou extremidade, usando materiais perfurados e tinta jogadas como aerossol que servem para marcar as frases, figuras ou imagens no local.

Simone Carvalho, líder do grupo de jovens Jocum de Chapada, contou que os voluntários decidiram fazer a ação social devido ao histórico do local. O ponto turístico tem índice alto de tentativas de suicídio e de casos consumados.

Ela contou que um motorista que estava passando pelo local saiu do carro e pediu um abraço para um dos voluntários e outras pessoas pararam para elogiar a atitude deles.