‘Apoiei e depois me desencantei’, afirma Pivetta sobre disputa com Carlos Fávaro

0
Foto: Mayke Toscano/Secom-MT

Dois políticos do pequeno e rico município de Lucas do Rio Verde (360 km de Cuabá) podem acabar polarizando a disputa ao Senado Federal, para preenchimento da vaga aberta com a cassação de Selma Arruda (PODE). Além de compartilharem o domicílio eleitoral, Carlos Fávaro (PSD) e Otaviano Pivetta (PDT) são ligados ao agronegócio e fazem parte do grupo político que governa o Estado de Mato Grosso.

Apesar de tantos pontos em comum, não há conversa, devem se enfrentar na eleição suplementar. Antes disso, já foi deflagrada a primeira disputa: o apoio do governador Mauro Mendes (DEM) na eleição marcada para 26 de abril. Em entrevista concedida na última semana, Pivetta afirmou que se ‘desencantou’ com Fávaro no passado e destacou que ambos têm histórias, trajetórias e intensões diferentes na política.


-Continua depois da publicidade ©-

“[São] Caminhos diferentes. Pensamento diferentes. Nada pessoal. Eu, você lembra, eu apoiei ele na eleição para vice-governador… sem nenhum problema. Depois disso eu me desencantei e não apoiei mais. Acho que, sem criticar, [ele] não me representa. É isso”, declarou Pivetta em A Notícia de Frente, programa exibido pela TV Vila Real.

A eleição que Pivetta se refere é a de 2014, quando Fávaro compôs a chapa encabeçada por Pedro Taques, hoje ex-governador tucano, mas à época filiado ao PDT de Otaviano. O agora vice-governador era prefeito de Lucas do Rio Verde e coordenou não só a campanha da aliança Taques-Fávaro como também foi o responsável pela transição do governo.

O empenho do pedetista naquela eleição foi tamanho que ele chegou a se licenciar da prefeitura em 2014 para se dedicar à disputa. Dois anos depois, saiu do Executivo de vez, também com a ‘participação’ indireta de Fávaro, mas desta vez contra a própria vontade. É porque em 2016 Otaviano concorreu à reeleição e acabou derrotado pelo candidato lançado por Fávaro no município.

Ainda no A Notícia de Frente, Pivetta declarou que ambos têm história e intenções diferentes na política. O vice-governador de Mauro Mendes foi polido, mas também direto ao responder a pergunta: ‘o que te diferencia dele?’.

“A história. Sem contar as ideias e as intenções, mas a história é a melhor forma de você avaliar a pessoa… através de sua trajetória e história”, finalizou.

Desde que Pivetta entrou na disputa, Mauro Mendes vem mantendo posição de neutralidade. Até então, o apoio do governador era garantido a Fávaro, em respeito à aliança de 2018, quando o ex-vice-governador disputou o Senado pela aliança que elegeu o atual governo.