Justiça bloqueia bens de ex-governador e ex-vice do DF por fraudes na construção de estádio

0
Foto: Andre Borges/Agência Brasília

A Justiça decretou, na noite desta quinta-feira (23), o bloqueio de bens do ex-governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz (PT) e do ex-vice Tadeu Filippelli (MDB) por fraudes na construção do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

A decisão é uma medida liminar. Ou seja, os réus ainda não são considerados nem culpados nem inocentes.


-Continua depois da publicidade ©-

Além dos políticos, também foi condenada a empresa Via Engenharia, o seu sócio-diretor, Fernando Márcio Queiroz; o empresário Jorge Luiz Salomão e o advogado Luiz Carlos Barreto de Oliveira Alcoforado. Cabe recurso à decisão.

Até a última atualização desta reportagem, o G1 não conseguiu contato com a defesa dos citados.

Bloqueio de bens

A medida, segundo o processo, é para garantir o ressarcimento dos cofres públicos diante de supostos desvios de dinheiro na construção do estádio – o mais caro da Copa do Mundo de 2014. De acordo com o Ministério Público do DF, a obra custou R$ 1,1 bilhão — valor 70% acima da estimativa inicial.

Na decisão, a juíza Acácia Regina Soares de Sá, da 7ª Vara da Fazenda Pública, manda bloquear R$ 19,5 milhões em bens do ex-governador Agnelo. Segundo a magistrada, há “indícios de recebimento de valores e vantagens indevidos durante a execução do contrato” por Agnelo.

Para o ex-vice Filippelli, a determinação judicial manda bloquear R$ 24,74 milhões. De acordo com a decisão, o político “solicitou e recebeu valores indevidos em razão da execução do contrato para construção do estádio”.

De acordo com a juíza, as provas demonstram que as irregularidades ocorreram desde a estruturação do projeto da licitação. Segundo a acusação, o acordo entre os envolvidos impediu o caráter competitivo da concorrência, mediante promessa, oferta e recebimento de propina.

Para cumprir a determinação, a Justiça determinou o acionamento dos sistemas do Banco Central e do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Valores bloqueados

1. Agnelo Santos Queiroz Filho: no valor, de R$ 12.288.000,00,

2. Nelson Tadeu Felipelli: no valor de R$ 24.740.000,00

3. Agnelo Santos Queiroz Filho e Jorge Luiz Salomão: no valor de R$ 7.000.000,00, solidariamente;

4. Agnelo Santos Queiroz Filho e Luiz Carlos Barreto de Oliveira Alcoforado no valor de R$ 7.440.000,00, solidariamente;

5. Via Engenharia S/A e Fernando Marcio Queiroz no valor de R$ 19.300.500,00, solidariamente.