Faixa com mensagem motivacional foi colocada no Portão do Inferno em MT — Foto: Luciana Tenuta Portela/Arquivo pessoal

Uma família colocou uma faixa com uma mensagem motivacional na mureta de proteção do Portão do Inferno, um dos maiores cartões-postais de Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá. A mensagem diz: “Você é precioso, não desista”. No ponto turístico é comum o registro de casos de suicídio.

A advogada Luciana Tenuta Portela disse que a faixa foi colocada nessa quinta-feira (16), com o apoio do marido e do sobrinho dela.

Ao G1, ela disse que é espírita há 12 anos e trabalha com jovens acima de 14 anos há dois anos e com mães, há quatro.

Segundo a advogada, o que a motivou a fazer a ação foi o suicídio recente de dois jovens.

“Minha motivação foi ver pessoas tão jovens tirando a própria vida. Dois casos recentes me emocionaram e fiquei triste pensando neles. Ao assistir um filme que conta a história do Allan Kardec e em uma cidade onde ele vivia tinha uma ponte onde as pessoas tiravam a vida, e no local foi colocada uma mensagem”, contou Luciana.

Depois que colocou a faixa, ela recebeu ligações das mães de pessoas que tiraram a vida no local e também de outras que os filhos se mataram em outros lugares.

“Foi compensador, pois eu compartilhei das dores delas e também falei que a ação foi feita pelo filho delas”, afirmou.

Ela disse que é muito difícil ver tantos jovens aflitos e com problemas tão profundos ao ponto de quererem se matar. Ela acredita que a mensagem atinge as pessoas, para que desistam e repensem antes de fazer algo ruim contra a própria vida.

O local onde a faixa foi instalada fica às margens de um precipício, na MT-251, próximo ao Parque Nacional de Chapada dos Guimarães.

O lugar é frequentado por turistas e pessoas que param para tirar foto à beira do precipício.

Em setembro de 2019, os vereadores de Chapada e de Cuiabá fizeram uma audiência pública para discutir a mudança do nome de Portão do Inferno para ‘Portão do Paraíso’.

Paredões na região do Portão do Inferno chegam a 150 metros de altura — Foto: José Medeiros/GCOM-MT

Uma lei de 1998, sancionada pelo então prefeito de Chapada dos Guimarães, Sebastião Treme Terra, já havia alterado o nome do local.