Os investimentos de baixo risco são ótimos para investidores iniciadores e que querem começar investindo pouco dinheiro. E como 2020 está só começando, decidimos compilar os seis principais investimentos de baixo risco para você ficar ligado e começar a programar os seus investimentos.

Esse tipo de investimento é bastante útil para objetivos e sonhos de curto prazo, mas também podem atender metas de médio e longo prazo. Aqui, não citaremos a poupança como um bom investimento de baixo risco, afinal apesar de tradicional entre os brasileiros, o rendimento abaixo da inflação, acaba fazendo com que você perca dinheiro.


-Continua depois da publicidade ©-

Então, vamos lá! Antes de conferir a nossa lista, vamos te explicar melhor o que são os investimentos de baixo risco e para quem eles servem.

O que são e para que servem investimentos de baixo risco?

Os investimentos de baixo risco são indicados para iniciantes. É importante frisar que todos os investimentos possuem riscos, mas que estas aplicações têm um índice de perda bastante pequeno, sendo bem mais difíceis de acontecer, ou seja, dificilmente você irá perder dinheiro.

O que caracteriza o investimento de baixo risco é o seu caráter conservador, o que diminui os riscos de desvalorização, boa e consistente liquidez e poucas taxas. Para evitar qualquer imprevisto, o ideal é que o seu investimento seja assegurado pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Dessa forma, mesmo que o banco que administra o fundo do seu investimento vá a falência, o FGC consegue garantir a sua restituição em valores até R$ 250 mil. Por isso, os investimentos de baixo risco são considerados conservadores, porque o risco praticamente não existe.

Esse tipo de investimento é a melhor opção para investidores iniciantes, que estão começando a entender o mercado financeiro. E as melhores opções são voltadas para objetivos de curto prazo como a compra de um objetivo, a realização de uma viagem ou a construção de uma reserva de emergência.

Confira abaixo a nossa lista com seis principais investimentos de baixo risco para 2020:

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um dos investimentos de melhor rentabilidade para quem está pensando em construir uma reserva de emergência.  O título é público, ou seja, pertence ao governo e o seu risco é baixíssimo.

A rentabilidade do Tesouro Selic está ligada a taxa Selic, taxa básica de juros que regula a economia nacional. Com liquidez diária, você pode resgatar o seu título antes do prazo de vencimento sem perder dinheiro.

Então, se você quer guardar dinheiro e fazê-lo render para usar em qualquer emergência, o Tesouro Selic é uma excelente opção. Além disso, o investimento no título é bem baixo, é possível investir com apenas R$ 30.

Tesouro IPCA +

O Tesouro IPCA + tem rentabilidade híbrida. Isso significa que esse título tem parte do seu investimento pré-fixado e parte pós-fixado. Para simplificar, parte do rendimento é definido pela taxa definida no contrato e outra parte do rendimento é definida por uma taxa atrelada à inflação, como acontece no Tesouro Selic.

Com datas de vencimento mais longas, o Tesouro IPCA possui títulos de médio e longo prazo, ideal para objetivos futuros. Como característica principal, o Tesouro IPCA + tem rendimento líquido por ser híbrido, o que diminui as chances de perder dinheiro, caso você precise resgatar o investimento antes da data de vencimento.

CDB

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é um título privado emitido pelo banco. A lógica é a mesma do Tesouro Selic, a diferença é que você está emprestando dinheiro para uma empresa privada e não para o governo. Assim, você recebe o dinheiro acrescido do rendimento na data de vencimento.

Assim como o Tesouro Selic, o CDB é um título de liquidez diária e por isso também é muito usado para construção de reservas de emergência. Esses títulos estão assegurados pelo FGC, o que diminui os seus riscos, mas podem sofrer tributação de imposto de renda. É possível começar a investir nestes títulos com até R$ 100.

LCI

A LCI (Letra de Crédito Imobiliário) é um título de renda fixa emitidos por bancos privados. Nestes casos, os bancos captam investimentos  para empresas do setor imobiliário. É como se o banco fosse o solicitante de um empréstimo é você fosse o credor. Assim, o banco te devolve o montante acrescido de juros na data de vencimento do título.

Esses títulos são garantidos pelo FGC é possuem uma curta duração, ideais para objetivos de curto prazo, entre seis meses e dois anos. Assim como o Tesouro IPCA +, o investimento é híbrido.

LCA

A LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) é semelhante a LCi, a diferença é que neste caso, o banco está buscando investimentos para o setor de agronegócio. Esses títulos também tem curto prazo, alguns vencem após apenas 30 dias. E como a maioria dos investimentos privados também conta com a garantia do FGC.

Fundos de Renda Fixa Referenciados DI

Esses títulos se caracterizam por aportar o seu investimento em outros títulos como o Tesouro Direto e outras aplicações de baixo risco. Os fundos de renda fixa referenciados Ditem rendimento entre 95% e 100% do CDI, sendo excelentes opções para quem está buscando segurança. Porém, eles não contam com a garantia do FGC.