Por que ser um voluntário?

Confira também como saber qual melhor trabalho voluntário para você

0

Empatia, compaixão, solidariedade. Seja em defesa de uma causa, de uma instituição ou de pessoas em situação de risco, o trabalho voluntário tem um papel ativo na transformação de qualquer sociedade. Assumir o voluntariado é assumir, sobretudo, um compromisso com outro.

Na prática, o serviço representa oferecer espontaneamente o seu melhor em favor do bem-estar do outro. O voluntário pode doar algumas horas, dias, meses ou até anos da sua vida. Seja no âmbito social, da saúde, do meio ambiente, das artes, da defesa dos direitos humanos ou das causas animais, os trabalhos fazem toda a diferença na vida das pessoas.

--
-Continua depois da publicidade ©-
--

Ajudar a preparar uma refeição para um asilo ou creche, contribuir com conhecimentos profissionais em intervenções especializadas, passar algumas horas por semana lendo para idosos ou brincando com crianças, organizar uma equipe para promover mutirões de reformas em creches e abrigos… O trabalho voluntário pode ser realizado sozinho ou em uma equipe. Não importa. Importante mesmo é doar tempo para transformar a vida de quem precisa.

Além de exercer a cidadania, quem decide ser voluntário começa a fazer parte de um novo mundo, vive outras experiências, faz o bem e descobre novas causas. Nesse sentido, o governo federal criou o Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado – Pátria Voluntária, uma plataforma nacional de voluntariado. É nesse ambiente digital que as instituições e voluntários têm a oportunidade de se conectar e ajudar a transformar o Brasil. A ferramenta foi desenvolvida em formato de rede social, para facilitar o encontro entre organizações que ofertam oportunidades de trabalho voluntário e pessoas interessadas em doar seu tempo, experiências e conhecimentos.


-Continua depois da publicidade ©-

O Pátria Voluntária conta com ações coordenadas pela presidente do Conselho do programa, a primeira-dama Michelle Bolsonaro, e pelo Governo Federal. Segundo Michelle, a ideia é identificar prioridades e realizações concretas que estimulem a melhoria da qualidade de vida das pessoas e ajudem a transformar o Brasil em uma nação solidária. “Lutaremos incansavelmente para que o voluntariado seja uma marca do novo governo. Somente através da participação ativa do cidadão, do governo e do setor privado é que poderemos implementar ações verdadeiramente transformadoras”, afirma.

Outros 11 ministérios fazem parte do conselho, ao lado de 12 representantes de instituições e da sociedade civil organizada. Dados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios Contínua (Pnad), do IBGE, mostram que 7,2 milhões de pessoas no Brasil fizeram algum tipo de trabalho voluntário em 2018. Com o Pátria Voluntária, qualquer brasileiro pode ajudar.

Quer ser um voluntário?

Para ser um voluntário não é necessário estar vinculado a nenhuma organização. O princípio de toda a ação é querer ajudar e, a partir daí, buscar formas efetivas para fazer sua parte. Mas se a ideia é fazer parte do Pátria Voluntária, o primeiro passo é fazer um cadastro individual (aqui entraria o link para o cadastro) inserindo nome, e-mail, senha e CPF dos participantes.

Atenção! Quem quiser participar cadastrando uma instituição, deve primeiro cadastrar o perfil pessoal e inserir os dados da instituição em uma etapa posterior.

Depois de criar seu perfil e confirmar seu cadastro por e-mail, o voluntário pode se conectar a amigos ou procurar ações que combinem com sua rotina e habilidades. É possível se engajar em atividades pontuais, de longo prazo, presenciais e virtuais em diversas cidades brasileiras.

Para criar uma página institucional, após gerar o perfil pessoal, é preciso criar uma página para a organização. Para isso, clique em “Incluir”, no menu lateral “Instituições”. Serão solicitados o CNPJ (número e documento) e o estatuto.

Como escolher uma causa

Depois de cadastrado, logo na página inicial será possível encontrar ações destacadas. Durante a navegação, a página carrega mais ações para que cada pessoa encontre uma de seu interesse. Existem filtros na lateral com ações ordenadas por proximidade com cada usuário (será considerada a localidade cadastrada no perfil).

Ao encontrar uma atividade, dá para clicar sobre ela enquanto navega no portal. O interessado pode saber mais sobre cada projeto, a instituição responsável, descobrir datas e horários para realização das tarefas e eventuais pré-requisitos para a participação. No botão “quero participar”, o usuário se inscreve para colaborar com aquela ação (atenção: é preciso estar logado). A plataforma também possui um chat próprio, onde é possível tirar dúvidas sobre a tarefa proposta ou combinar detalhes para a participação com os responsáveis.

As páginas de cada ação explicam como será feito o primeiro contato para a realização das atividades, que pode ser por meio de uma conversa via chat, encontro presencial ou outra opção indicada pelos organizadores. Lembre-se que a plataforma é um espaço de divulgação, mas o teor das ações é de responsabilidade da instituição que o cadastrou.

No dia da atividade, um recurso de geolocalização permite que o voluntário confirme que participou de fato da ação – o recurso é habilitado para aqueles que se encontram nas proximidades do local de realização das atividades.

A plataforma permite, também, a criação de um “Currículo Social” para cada voluntário, que sintetiza uma listagem das iniciativas de que cada pessoa participou.