Brasil e França duelam na semifinal do Mundial Sub-17

0

Seleção Brasileira entra em campo no Bezerrão às 20h em jogo que vale uma vaga na final da Copa do Mundo

A noite promete muita emoção no Distrito Federal. No gramado do Bezerrão, Brasil e França disputam uma vaga na grande final do Mundial Sub-17. A bola rola às 20h para o clássico, que terá transmissão ao vivo do Sportv e tempo real nas redes sociais da CBF.

--
-Continua depois da publicidade ©-
--

Além de valer uma vaga na final, o jogo também reúne as únicas duas equipes com 100% de aproveitamento na competição. Brasil e França tem as melhores campanhas do Mundial. Ambos venceram todos os seus cinco jogos até aqui.

Nas quartas de final, o Brasil derrotou a Itália por 2 a 0. A França, por sua vez, goleou a Espanha por 6 a 1. Agora, um deles terá que ficar pelo caminho.


-Continua depois da publicidade ©-

O técnico Guilherme Dalla Déa terá 20 jogadores à sua disposição. O meia Diego Rosa cumpriu suspensão e volta para o jogo desta quinta. O único desfalque é o atacante Talles Magno, que já deixou a competição com uma lesão na coxa direita.

Ciente da dificuldade do duelo, o treinador valorizou o adversário, mas garantiu que o Brasil está preparado para ser um concorrente à altura.

– Tem que ser um jogo de extrema inteligência. Tem que ter um nível de concentração muito alto, de atenção. Não vamos mudar nossas características, os atletas estão preparados. É uma semifinal, mexe com os ânimos. Mas os jogadores chegaram bem, com consistência. Eu comentei com eles hoje para saber usufruir desse momento, saber jogar o jogo, com cautela, sem deixar de ser um time ofensivo e muito bem organizado – destacou.

Ao longo da competição, a França tem apostado em um estilo muito físico de jogo. Contra a Espanha, se pôde notar isso. Os gols se dividiram entre jogadas de linha de fundo, explorando a velocidade dos atacantes, e bolas alçadas na área, usando a altura dos atletas.

Mesmo assim, Dalla Déa prega regularidade ao Brasil e quer ver a Seleção atuando com o mesmo estilo de jogo que a trouxe até aqui no torneio.

– Eu acredito que a França continuará imprimindo seu ritmo, como ela mostrou no primeiro momento aqui no Brasil.  É uma semifinal, vamos nos concentrar no nosso jogo. Vamos ajustar os pequenos detalhes, para que a gente corresponda e possa fazer uma grande partida.