Inovação e tecnologia marcam III Feira Jovens Empreendedores Primeiros Passos

Mostra desenvolvida em parceria com o Sebrae também evoluiu na qualidade e diversidade dos produtos ofertados

0

A terceira edição da Feira Jovens Empreendedores Primeiros Passos (Jepp), realizada na tarde de sexta-feira (08), movimentou toda a comunidade escolar da São Cristóvão. Logo após a abertura, às 13 horas, já era intensa a circulação de pais, familiares e de professores dos alunos pelos corredores, salas de aula e espaços destinados às pequenas empresas e seus microempresários.

Foram meses de preparação que valeram a pena. Em muitos pontos comerciais, os donos dos negócios conseguiram vender suas mercadorias tão rapidamente que a quem chegou mais tarde restava somente lamentar o atraso ao ver que o objeto do desejo estava ali apenas exposto com um comunicado de que já tinha comprador.

--
-Continua depois da publicidade ©-
--

Este ano, o caixa de cada lojinha, independentemente dos produtos ofertados, apresentava uma inovação tecnológica desenvolvida dentro da própria escola: o registro de compra e venda de por meio de código de barras, controle do estoque de mercadorias e fornecimento de comprovante aos clientes.

A qualidade e a diversidade dos produtos também têm evoluído com o passar do tempo. Além dos tradicionais projetos com aproveitamento de sucatas e materiais descartáveis para a confecção de brinquedos e utensílios domésticos ou de comercialização de ervas aromáticas e plantas, a venda de comida típicas de diferentes etnias incrementou a terceira feira do Jepp.


-Continua depois da publicidade ©-

“É um projeto maravilhoso e apaixonante porque é mais uma oportunidade de descobrir talentos dentro de cada turma. Tem criança que se desenvolve no desenho, outro na matemática ou na criatividade. Com ele, elas aprendem a empreender, a utilizar o que elas têm disponível e a entender que o desperdício de matéria prima irá afetar a lucratividade”, destaca a gestora Andréia Pedrassani Ottoni Gugel.

Responsável pelo desenvolvimento do sistema de automação para compra e venda de mercadorias, o professor de informática Genivaldo Pereira da Rocha ressalta a importância do envolvimento de toda a comunidade nos projetos e da introdução da tecnologia no cotidiano escolar como parte do próprio empreendedorismo. “A ideia surgiu da dificuldade enfrentada pelos alunos para fechar o caixa depois de encerradas as vendas. Agora eles têm o controle de quanto tinham quando abriram o caixa, qual a quantidade de produtos em estoque e a leitura do código de barras de cada mercadoria”, explica.

A secretária municipal de Educação, Cleusa Marchezan De Marco, avalia que o Jepp é um projeto que potencializa a criatividade, o empreendedorismo e o protagonismo das crianças e jovens e ao mesmo tempo os prepara para a vida. “A gestão e toda a comunidade escolar da São Cristóvão estão de parabéns pela continuidade desse projeto de extrema importância para a qualidade da aprendizagem dos alunos, a busca do conhecimento e a preparação para a convivência em sociedade, que é isso que temos procurado assegurar no nosso currículo. Além de todo o conhecimento e da motivação que ele traz, envolve toda a comunidade”, frisa.

Aluna do segundo ano, Luiza Gabriela dos Santos Orth participa pela segunda vez do Jepp e trouxe plantinhas aromáticas para comercializar na feira. “Está sendo bem legal e aprendi bastante coisa. Eu trouxe salsinha, manjericão e mais uma que eu esqueci o nome. A gente também pode ajudar a escola para no final do ano juntar mais dinheiro para poder brincar bastante”, conta.