As cotações do milho em Chicago fecharam em queda de 0,71% e o dólar teve desvalorização de 0,44%, fechando em R$ 3,9919. Já as cotações no mercado brasileiro oscilaram pouco, novamente, entre a estabilidade e leve alta.

No Rio Grande do Sul mercado de lotes totalmente travado. Os preços não tiveram oscilações significativas. No Paraná negócios reportados na região dos campos gerais e no norte do estado com preços na faixa de R$ 40,00. Precos futuros na faixa dos R$ 39,00 e R$38,00, no porto, para dezembro. Em Campinas (SP), a abertura da semana sem novidades relevantes. O ambiente com referências pressionadas persiste, com Chicago em baixa, queda do Dólar frente ao Real e, consequente, recuo dos preços de porto no Brasil.

As indicações dos portos brasileiros para novembro estão em R$ 40,00/sc, recuo de R$ 1,00/sc frente a sexta-feira (25). Indiretamente, compradores locais, que apenas observavam as quedas, vão testando preços menores. Estes adotaram postura firme e buscam apenas recompor seus estoques. Intermediários e produtores tentam não ceder à pressão e ainda não apresentam ofertas volumosas de seus estoques. Aos poucos, porém, alguns negócios voltam a ocorrer.

Estimativas de mercado indiquem que a média dos preços ficou em R$ 42,08/sc, recuo de 0,06/sc. Os preços oferecidos pela exportação, para vendedores distantes 600 km do porto, subiu para R$ 34,69 (34,48 do dia anterior) para dezembro, R$ 35,77 (35,59) e caiu para março e R$ 34,20 (34,62) para maio de 2020.


Já os milhos importados do Paraguai chegariam ao Oeste do Paraná ao redor de R$ 31,85 (R$ 31,99 anterior); ao Oeste de Santa Catarina ao redor de R$ 35,22 (35,37) e ao Extremo Oeste de SC ao redor de R$ 34,77 (34,89) /saca. O milho argentino a R$ 52,09 (52,30) e o americano a R$ 58,37 (58,87) no oeste de SC.


--Continua depois da publicidade ©--

Com relação aos preços dos principais consumidores de milho, os preços do frango resfriado para o consumidor em São Paulo tiveram lalta de 0,88% (0,2% no dia anterior), levando o ganho mensal a 2,23% (1,34% no dia anterior). Os preços dos suínos no Paraná também tiveram alta, de 0,83% (estável na sessão anterior), levando a alta acumulada no mês em 9,26% (8,35% na sessão anterior). Os preços do boi gordo em São Paulo fecharam queda de 1,14%, com o acumulado se mantendo no território positivo em outubro, atingindo 1,485%.



--PATROCINADO--