Reprodução Google Maps/Direitos reservados

Um prédio residencial desabou na manhã desta terça-feira (15) no Bairro Dionísio Torres, área nobre de Fortaleza.

Até a última atualização desta reportagem, uma morte havia sido confirmada e três pessoas haviam sido resgatadas com vida, mas o total de vítimas não tinha sido contabilizado.

--
-Continua depois da publicidade ©-
--

O que se sabe até agora

  • Edifício Andréa desabou por volta das 10h30
  • Uma morte foi confirmada às 11h43
  • Bombeiros estimam que entre 10 e 15 pessoas ficaram entre os escombros
  • Ao menos três pessoas foram resgatadas com vida, sendo uma delas uma senhora de 60 anos
  • Ruas em torno do edifício foram bloqueadas
  • O prédio ficava no cruzamento na Rua Tibúrcio Cavalcante com Rua Tomás Acioli, a cerca de 3 quilômetros da Praia de Iracema, região turística da capital cearense

Segundo moradores do bairro, o prédio tinha seis andares, mais a cobertura. Transeuntes que passavam pelo local no momento desabamento tiveram ferimentos e foram encaminhados para clínicas próximas ao prédio.

“Eu estava em casa. Há 30 minutos ouvi um barulho forte. Como se fosse uma batida de caminhão, coisa do tipo. Em seguida ouvi um barulho desencadeado. Eu disse: não. Caiu alguma coisa. Desabou alguma coisa. Olhei pela janela e vi poeira muito forte e gente correndo”, disse Mário Ferreira, morador da região.

Por meio de nota, a Prefeitura de Fortaleza informou que montou um plano de contingência para atender as vítimas. Profissionais do Instituto Dr. José Frota (IJF), no Centro de Fortaleza, maior hospital de urgência e emergência do Ceará, foram deixados de prontidão para os atendimentos, junto com equipes de outras três unidades de saúde (UPA, Frotinhas e Gonzaguinhas).

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, foi ao local do desabamento para acompanhar o resgate. O governador do Ceará, Camilo Santana, que cumpria agenda nesta terça em Brasília, cancelou os compromissos e para retornar para a capital cearense.

Bombeiros alertam sobre risco de explosões

O Corpo de Bombeiros pediu para que todos os moradores da região deixassem suas residências. Segundo os bombeiros, há risco de explosões devido a um possível vazamentos de gás, além do risco de choque elétrico devido aos fios de energia espalhados pela rua.

Por conta do desabamento, um trecho da Avenida Antônio Sales até a a Avenida Tomás Acioli ficou bloqueado.