Mulheres de presos reclamam de visitas barradas por causa de lingerie de cor escura em presídio de MT

0
Foto: Arquivo pessoal

As mulheres de presos do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC) alegam que foram impedidas de entrar na unidade para visitas, neste domingo (13).

Uma delas disse que elas estão sendo submetidas a revistas para verificar se estavam usando lingerie de cor escura e com decote quem está teve a entrada barrada.

--
-Continua depois da publicidade ©-
--

“O diretor falou que ninguém vai entrar, não vai liberar ninguém. Estão mandando tirar a roupa lá dentro e quem está com calcinha preta não está entrando”, afirmou.

De acordo com o Sindicato dos Agentes Prisionais de Mato Grosso, roupas e até mesmo lingeries de cores escuras são proibidas, porque podem ser usadas pelos presos para eventual fuga. Ocorre que os agentes prisionais usam preto e, se algum preso usar preto, pode passar despercebido e conseguir fugir.


-Continua depois da publicidade ©-

Segundo Jacira Maria da Costa, presidente do sindicato, as mulheres querem chamar a atenção, porque são contrárias à instrução normativa que passou a valer em setembro e alterou as regras para entrada de pessoas nas unidades prisionais.

“Essas determinações (quanto à cor da lingerie) já estavam sendo aplicadas. É uma forma de chamar a atenção. Elas querem dizer que antes entravam assim dessa forma. Agora, tem uma instrução normativa, que entrou recentemente, que aumentou a cobrança em relação às regras elas estão estranhando”, explicou.

Além da regulamentação das visitas, o novo texto traz também critérios para a expedição de Carteira Individual de Visitantes (CIV), revista e entrada de alimentos aos custodiados.