Garimpeiros tentam voltar de forma clandestina para local de extração de ouro alvo de operação

0
Foto: Reprodução

Os agentes do Serviço de Operações Especiais (SOE) do Sistema Penitenciário, que dão apoio a ‘Operação Trypes,’ que ocorre em uma área de extração de ouro ilegal, situada no município de Aripuanã (704 quilômetros de Cuiabá), conseguiram impedir o retorno de garimpeiros que queriam voltar a atuar de forma clandestina no local.

Três entradas do garimpo estão sendo vigiadas pelos agentes, que impediram a reinstalação de três garimpeiros que tentaram voltar de forma clandestina. Eles foram ao local com a estrutura para reabertura provisória da Cadeia Pública de Aripuanã, o que não foi necessário na ação.


Continua depois da publicidade-pix


Peritos do Grupo de Atuação de Perícias Especiais (Gape) da Politec realizaram perícia em motocicletas e veículos que estavam no garimpo para avaliar se estavam ou não clonados, além de fazer local de crime e exame de eficiência de arma de fogo no fuzil do Bope e nas espingardas do garimpeiro que morreu durante a operação, ao atirar contra os policiais.

Na quarta-feira, foram dinamitadas as cavas profundas e destruído o restante dos maquinários de garimpo. As explosões iniciaram na terça-feira pela manhã. Ainda não há como mensurar os danos ambientais, a riqueza extraída e apontar responsabilidades e omissões. A perícia da Polícia Federal será responsável por isso.

-Continua depois da publicidade ©-

O garimpo ilegal esta em funcionamento desde outubro de 2018. No local, há pessoas armadas e isso tem contribuído para homicídios. Além disso, há outros crimes cometidos na área, como: ambientais, contra o patrimônio e tráfico ilícito de drogas.

Morte

Um garimpeiro, ainda não identificado, morreu em confronto com o Bope, na segunda-feira (07). Os policiais orientaram que todos deixassem o local. Porém, em um dos barracos, o homem disparou tiros contra a equipe, que revidou e o atingiu com dois tiros na região do tórax. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Fazem parte da ação, além das policiais Militar e Federal, Sistema Penitenciário, Polícia Judiciária Civil (PJC), Corpo de Bombeiros, Grupo de Operações Especiais (GOE) da PJC, Politec, Polícia Militar, Força Tática, Rotam e os fiscais do Ibama e da Sema.

Fase 1

No dia 26 de setembro, a Polícia Federal deflagrou a primeira fase da ‘Operação Trypes’, com o objetivo de investigar irregularidades na extração de ouro em garimpos de Mato Grosso.  Foram cumpridos mandados de prisão em Juína, Aripuanã, Alta Floresta e Paranaíta.

A ação tem ligação com o avião localizado em junho deste ano, na cidade de Aripuanã, com uma quantidade em ouro.





-Patrocinador-