Fiemt disponibiliza plataforma de pesquisa para Câmara Setorial da ALMT

0

O gerente de Comércio Exterior da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt), Lucas Barros, apresentou em reunião realizada na tarde de segunda-feira (30) a plataforma digital desenvolvida pelo setor de tecnologia da informação daquela entidade para consulta de informações sobre o fluxo de importações e exportações.

A plataforma – que além de servir à própria Fiemt também será disponibilizada para uso da Câmara Setorial Temática de Relações Internacionais (CST-RI) da Assembleia Legislativa de Mato Grosso -, permite consultas sobre produtos importados e exportados, com filtros para cada estado brasileiro, assim como para diversos países. Além disso, possui gráficos ilustrativos e outras ferramentas.

VIAGENS OFICIAIS

Na ocasião, a coordenadora do Núcleo de Assuntos Internacionais do governo do estado de Mato Grosso, Rita de Cássia Oliveira Chilletto, fez breve explanação sobre as visitas oficiais do governador Mauro Mendes aos Estados Unidos e à Bolívia.

Ela criticou a atuação da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), representada pela indígena Sônia Guajajara, que questionou as ações governamentais contra queimadas e desmatamento, assim como acusou morticínio de silvícolas no estado – o que de fato ocorreu, mas no vizinho Mato Grosso do Sul. Sônia é militante do PSOL e foi candidata a vice-presidente da República em 2018 na chapa de Guilherme Boulos, do mesmo partido.

“Mesmo sem tomar posição, temos que reconhecer certa razão quando o presidente Bolsonaro acusa algumas ONGs de prestar desserviços ao país”, comentou Rita Chilletto.

Ela também falou da participação mato-grossense na 44ª Expocruz, maior feira de negócios da América Latina, realizada no departamento (equivalente boliviano aos estados brasileiros) de Santa Cruz de La Sierra.

Willian Moraes, da Assembleia Legislativa, também comentou a viagem ao país vizinho, da qual participaram o presidente da Casa, deputado Eduardo Botelho (DEM), a vice-presidente, Janaina Riva (MDB), o primeiro-secretário Max Russi (PSB), além dos pares Paulo Araújo (PP) e Ondanir Bortolini “Nininho” (PSD).

Na ocasião, foi assinado um Termo de Acordo de Sociedade, que estabelece as diretrizes dos estudos que serão realizados sobre a criação efetiva de uma sociedade para fornecimento do combustível.

O contrato prevê o fornecimento de 1,5 milhões de metros cúbicos mensais até dezembro de 2020. Há uma cláusula no contrato especificando que haverá renovação automática do fornecimento por mais dez anos, caso não se concretize a formação da sociedade.

Com a retomada do fornecimento, as indústrias que possuem conversor para funcionamento com gás natural terão o combustível disponível. O contrato abrange também o fornecimento de gás natural veicular (GNV) para abastecer a frota de Cuiabá.


Amazonia 03 de Junho